O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), chegou hoje a secretaria da comissão com o relatório parcial do delegado Diógenes Curado, da Polícia Federal de Mato Grosso, sobre a investigação do dossiê. As informações são da Agência Câmara, que revela ainda que além do relatório, a Justiça Federal de Mato Grosso também enviou à CPMI as quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados.

Segundo o portal, a documentação será numerada e disponibilizada aos integrantes da CPMI. Biscaia deverá solicitar ao Centro de Processamento de Dados do Senado (Prodasen) que providencie uma forma de acesso rápido aos documentos.

Ainda de acordo com a Agência Câmara, o deputado avisou que vai adotar alguns procedimentos, para evitar o vazamento de informações indevidas e a "produção de fatos", mas não especificou exatamente que procedimentos seriam esses. A preocupação de Biscaia é evitar a utilização .