A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Sanguessugas pretende convocar, nos próximos dias, os principais envolvidos na chamada "máfia das ambulâncias", como a ex-funcionária do Ministério da Saúde Maria da Penha Lino e o dono da empresa Planam, Darci Vedoin. Em sua primeira reunião administrativa, realizada hoje, a CPMI aprovou 19 requerimentos, entre eles os que pedem a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico dos dois principais envolvidos no esquema de desvio de verbas públicas.

Porém, os primeiros a irem à comissão serão aqueles que, desde 2004, investigam o esquema descoberto pela Operação Sanguessuga, da Polícia Federal, que são o delegado Tardeli Boaventura e o procurador regional da República em Mato Grosso, Mário Lúcio Avelar.

Sindicância

A Corregedoria da Câmara também vai colaborar com os trabalhos da CPMI, remetendo toda a documentação levantada pela Comissão de Sindicância que apurou o possível envolvimento de parlamentares no caso. Além disso, o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) entregou à comissão 12 CDs que reúnem as investigações conduzidas pela Procuradoria Regional da República em Mato Grosso.

"Existem quatro linhas de implicação. Você pensa em um cerco de quatro anéis. O primeiro é a apresentação de emendas. O segundo é o relatório da Corregedoria-Geral da União (CGU) sobre o superfaturamento das emendas. O terceiro anel é a degravação da Polícia Federal e o quarto é a folha de pagamentos da empresa Planam. Se você utilizar esses anéis da maneira adequada, muitos ficarão presos dentro dele", explicou Gabeira. O deputado avalia que, após a análise da documentação, a CPMI terá condições de apresentar a relação dos parlamentares envolvidos no esquema.

Desvio de condutas

Já o presidente da comissão, deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), garante que, apesar do possível envolvimento de deputados e senadores, a CPMI vai cumprir seu objetivo. "Não há condições de nenhum tipo de corporativismo, de acobertamento de quem quer que seja. Eu tenho convicção que esta comissão, no prazo de 60 dias, vai apresentar relatórios para a sociedade brasileira que apontarão desvio de conduta de quem quer que seja; não tenho a menor dúvida disso", observou.

A próxima reunião da CPI Mista das Sanguessugas está prevista para terça-feira (4). No encontro de hoje, os integrantes da CPMI elegeram para a vice-presidência da comissão o deputado Raul Jungmann (PPS-PE).