Medida adotada pela Secretaria Municipal da Educação para prevenir acidentes nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) está servindo também para a economia de tempo e recurso público. Antigas secadoras de roupa a gás, que funcionavam em 65 unidades municipais, foram substituídas por modernos equipamentos elétricos. Os demais CMEIs que possuem berçário já são equipados com secadoras elétricas.

As novas secadoras foram compradas pelo município e entregues para os CMEIs no último mês. A retirada dos equipamentos que utilizavam gás liquefeito de petróleo (GLP) para secar lençóis, cobertas, toalhas e roupas utilizadas pelas crianças aconteceu após a vistoria técnica realizada por um perito, contratado pela Prefeitura.

A modernização dos CMEIs, segundo o diretor do departamento de Logística da Secretaria Municipal da Educação, Cilos Roberto Vargas, tem por objetivo garantir a segurança das crianças e dos servidores que atuam nas unidades. "Oferecer ambientes saudáveis e seguros para o desenvolvimento das crianças é uma de nossas prioridades", disse Cilos.

A substituição agradou as diretoras e as auxiliares de serviços encarregadas em lavar e passar, diariamente, centenas de peças. "O antigo aparelho era da década de 80, levava mais de seis horas para secar algumas peças, de apenas uma das turmas do maternal", conta a diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) São José Operário, Rosiney dos Santos Mendes.

Localizada no Alto Boqueirão, a unidade atende 150 crianças com idades entre 5 meses e cinco anos. Durante as quase onze horas que permanecem no CMEi, os meninos e meninas trocam de roupa no mínimo duas vezes, quase sempre antes de uma das cinco refeições que recebem.

Tip-top

Além do volume de meias, casaquinhos e tip-tops são trocados diariamente, toalhas de banho e roupas de cama. O bem estar da meninada requer a lavagem de algo em torno de 400 peças por dia, cerca de 60 quilos de roupa.

"Não tem como secar tudo no varal. Sem a secadora não conseguimos oferecer o conforto que eles necessitam", conta Rosiney. A diretora comemora também a economia que está conseguindo fazer. "O consumo de eletricidade é bastante inferior ao que utilizávamos gás e sem o risco de um vazamento", disse Rosiney.

Durante o inverno e nos períodos mais úmidos do ano, quando a roupa demora a secar, a diretora precisava comprar novas peças para o enxoval que as crianças utilizavam no CMEI. "Agora a máquina seca dez quilos por vez e em apenas uma hora", comemora a diretora.

Outro CMEI que conseguiu otimizar recursos com a utilização da nova secadora foi o Pimpão, no bairro Portão. Responsável pelo cuidado e atenção de 160 crianças, a unidade que tem como característica o atendimento a um grande número de famílias que trabalham na coleta de resíduos recicláveis, atende também no período noturno.

O atendimento vai até as 23 horas e gera uma grande demanda de roupas que não podem ser secadas apenas no varal. São 90 quilos por dia, segundo conta a diretora da unidade, Maria Conceição dos Santos.

"As crianças de berçário tomam banho e trocam e roupa antes de cada uma das cinco refeições que fazem no dia. Os que mais se sujam são os pequenos que estão na fase de engatinhar", explica Maria Conceição.

O novo aparelho contribuiu ainda para acabar com outra dificuldade enfrentada pela unidade, o roubo das roupas. A secadora a gás limitava a secagem do maior volume das peças que acabavam tendo que passar à noite no varal. Nem mesmo o muro, com mais de dois metros de altura, era suficiente para impedir que vândalos levassem, principalmente as toalhas de banho.

"Eram atitudes de pessoas que ignoravam que aquelas as peças eram utilizadas pelas crianças atendidas nos CMEIs", comenta Maria Conceição. Para a diretora, a preocupação em oferecer mais segurança e qualidade no atendimento das crianças é um reflexo da atenção oferecida pela administração municipal, a educação infantil.

"Estão investindo nas unidades mas também na capacitação dos profissionais", disse Maria Conceição. Exemplos como a contratação de novos educadores e a implantação do horário de permanência, tempo destinado para a preparação das atividades com as crianças, são citadas pela diretora como avanço e sinal de respeito pela população.