As crianças nascidas a partir deste ano vão ter uma nova caderneta de saúde, que vai substituir o cartão de vacinação. Mais completa, a Caderneta de Saúde da Criança possui 26 páginas, onde podem ser anotadas informações sobre a gestação, parto e pós-parto, saúde bucal, ocular e auditiva do bebê e também os tratamentos realizados.

"Esse é um modelo muito mais completo que vai auxiliar não apenas os profissionais de saúde, mas principalmente as famílias, que vão ter acesso a um conjunto de informações sobre o crescimento e desenvolvimento da criança", disse o ministro da Saúde, Humberto Costa.

O documento também tem espaço para anotações sobre suplementação profilática de ferro e vitamina A, medida encefálica, dicas de saúde e alimentação e um resumo dos Direitos da criança. "A caderneta vai ajudar para que os profissionais ainda que em algumas situações não haja acompanhamento por um único profissional eles possam ter um retrato de tudo que antecedeu aquela consulta", afirmou Humberto Costa.

Com um bebê de apenas três semanas, a professora Vanderléia dos Santos diz que a nova caderneta vai tornar mais fácil acompanhar o desenvolvimento do filho. "Através da caderneta, as dúvidas que a gente tiver já aproveita e tira no consultório médico com a caderneta na mão".

A Caderneta de Saúde deve acompanhar a criança até os dez anos de idade. "E depois a gente aproveita, já guarda para quando ele estiver grande contar toda a história", planeja Vanderléia dos Santos. "Essa caderneta é uma fonte segura não só para as mães, mas também para os bebês. Se acontece alguma coisa ela vai trazer todas as informações possíveis que de repente a gente não está podendo dar por algum motivo", acrescenta a professora.

O ministério da Saúde produziu 3,5 milhões de exemplares que vão ser distribuídos tanto nas maternidades públicas quanto particulares. As cadernetas vão ser distribuídas anualmente para todo o país. A orientação é que as crianças já nascidas continuem usando o cartão de vacinação.