O secretário-geral da Câmara de Comércio da República de Cuba, Frank Abel Portela Chacón, e o representante do Centro de Promoção das Exportações de Cuba (Cepec), Rafael Rivero Cabrera, estiveram nesta segunda-feira (15) em Curitiba para uma reunião organizada pela Secretaria da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul (Seim) e pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), no Centro Integrado de Empresários e Trabalhadores do Paraná.

?O motivo da visita aos Estados do Sul do Brasil é ampliar o intercâmbio e o conhecimento entre nossos empresários sobre as reais potencialidades que oferecem as economias cubana e brasileira para incrementar as relações comerciais que, embora tenham crescido nos últimos anos, ainda estão muito abaixo do potencial real que permitem nossas alternativas econômicas?, explicou Chacón.

Desenvolvimento da indústria de biotecnologia, equipamentos médicos, incremento do valor agregado ao turismo, aperfeiçoamento das linhas de transmissão de energia elétrica, da exploração de petróleo, desenvolvimento de experiência com biodiesel, oferta de profissionais especializados em áreas que vão de saúde ao aproveitamento da cana-de-açúcar, estão entre as possibilidades de comprar, vender e desenvolver parcerias.

O secretário da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul do Paraná, Virgílio Moreira Filho, ressaltou que o governo do Estado tem aberto as portas ao intercâmbio de empresários paranaenses com os países do Mercosul e outros países latino-americanos. No caso de Cuba, em parceria com a Federação das Indústrias. Nos últimos três anos e meio, o Estado promoveu 18 missões empresariais paranaenses a outros países e recebeu 10 dez missões estrangeiras. Viajaram acompanhando missões governamentais, 350 empresários, o que resultou em negócios de US$ 500 milhões.

O secretário paranaense afirmou que a integração faz parte da política interna do governo do Paraná e que as missões governamentais e empresariais promovidas não são apenas para vender mas também para comprar de outros países. ?É fundamental o relacionamento com os outros países porque aumenta a garantia de comércio exterior principalmente para as micro e pequenas empresas paranaenses. O objetivo do comércio bilateral é gerar emprego e renda?, adfirma Virgílio Moreira.

Perfil de Cuba

Cuba precisa importar principalmente carne congelada de frango, óleos vegetais e alimentos, ônibus para transporte coletivo, caminhões e maquinários agrícolas, papel e papelão, sapatos, móveis, azulejos, borracha, confecções e quer parceria para ampliar as ofertas de hotéis e seus agregados como, por exemplo, campos de golfe.

Os principais produtos que o país exportou em 2005 são níquel, medicamentos, tabaco, açúcar e derivados, produtos de pesca, máquinas e equipamentos elétricos, cítricos frescos e industrializados, máquinas e aparelhos elétricos, resíduos da indústria siderúrgica.

As possibilidades de atuação conjunta com o Brasil estão na produção e comercialização de álcool carburante, derivados na indústria açucareira, energia elétrica, embarcações para coleta de lagosta, transferência de tecnologia em biotecnológicos, genéricos, hemoderivados, embalagens para medicamentos.