Com a adoção de medidas mais pesadas de enfrentamento à propagação do novo coronavírus, as aulas presenciais nas escolas do Paraná estão proibidas de ocorrer, por determinação do decreto estadual anunciado na última sexta-feira (26). A ação deixou muitos pais e responsáveis pelas crianças ou adolescentes revoltados e um abaixo-assinado, que já atingiu mais de 21 mil pessoas, foi feito para cobrar respostas do governo do Paraná quanto à uma data de retorno das aulas. Vale reforçar que a educação é atividade essencial no estado.

LEIA MAIS – Volta às aulas pode prevenir a obesidade infantil; pediatras apoiam retorno com cuidados contra covid-19

A petição pública foi criada no último fim de semana para cobrar das autoridades uma solução rápida para a questão. O decreto estadual é válido até o dia 8 de março e até lá, apenas alguns serviços que são considerados indispensáveis para a população podem funcionar, como mercados, farmácias, postos de gasolina, ótica e pet shops. O questionamento que os pais se fazem, é que por ser atividade essencial, as escolas teriam que estar abertas para atender os alunos.

O empresário Fernando Salles, 41 anos, foi o responsável pela criação do abaixo-assinado que pede prioridade no retorno das aulas presenciais. Nesta quinta-feira (4), 21.623 assinaturas online tinham sido realizadas, número que se aproxima da meta, que é chegar a 25 mil assinaturas.

VIU ESSA? Festa clandestina: Pagode com 70 pessoas é encerrado pela PM em Curitiba

“A adesão foi muito boa até pelos comentários favoráveis, pois as escolas estão tomando todos os cuidados e as crianças estão fazendo tudo certinho. Não entendemos este fechamento. Os pais estão muito chateados com o decreto, pois a atividade educação é considerada essencial e estamos vendo nas ruas algumas lojas abertas que são importantes também, mas os colégios fechados. Não podemos deixar que em 2021 se repita o que ocorreu em 2020”, disse Fernando.

Parte do abaixo-assinado, que já conta com mais de 21 mil assinaturas. Foto: Colaboração/Fernando Salles

Data de retorno

O abaixo-assinado deseja que o governo estadual explique duas situações. O motivo do fechamento e que uma data venha a ser informada com urgência para o retorno das aulas presenciais, utilizando a atividade essencial como prioridade.

LEIA MAIS – Curitiba prepara projeto de lei para comprar vacinas via consórcio de municípios

“Nós regredimos no assunto e estamos cobrando esses pontos. Sabemos que as escolas fechadas não estão reduzindo os casos de covid-19 na cidade e elas abertas não aumentam. As crianças estão usando máscaras, higienizam as mãos e mochilas, distanciamento está sendo cumprido e os professores estão colaborando. Os pais estão preocupados com esta indefinição”, comentou o empresário.   

Em Curitiba, as escolas municipais adotaram o sistema híbrido (revezamento com aulas em casa e no colégio) e as escolas particulares chegaram a voltar com as aulas presenciais. Já nas instituições estaduais, as atividades presenciais deveriam ter começado na segunda-feira (1º), mas foram canceladas e estão sendo realizadas de maneira remota (online).  O decreto estadual com medidas restritivas contra o novo coronavírus é válido até o dia 8, mas pode ser prorrogado por mais 14 dias.