A licitação que permitirá a realização das obras do Ligeirão Sul, que deve ligar a Praça do Japão ao Terminal Pinheirinho, foi aberta nesta quarta-feira (12) pela Prefeitura de Curitiba. Em 28 de março de 2018, começou a operar a primeira fase da linha direta Norte-Sul, com o Ligeirão Santa Cândida-Praça do Japão. De acordo com promessa feita no mesmo ano pelo prefeito Rafael Greca, a ligação da linha Norte-Sul estava prevista para estar operando entre os terminais Santa Cândida e Capão Raso – um terminal antes do Pinheirinho – ainda em 2018.

Nesta etapa, de acordo com a prefeitura, o município vai investir R$ 34,8 milhões, em recursos próprios, nas obras para ultrapassagem dos ônibus, requalificação de estações e de pavimentação do corredor de transporte, que irão concluir a ligação do Ligeirão Norte-Sul do Santa Cândida ao Pinheirinho. As obras devem durar 12 meses.

+ Leia mais: Surfista diz ter sido atacado por tubarão no Litoral do Paraná

“Curitiba segue adiante. Colocamos em operação o primeiro trecho do Ligeirão, cuja infraestrutura estava pronta e sem funcionar. Com esta nova etapa vamos estender a opção de transporte rápido e de qualidade a 350 mil pessoas que utilizam a linha Norte-Sul diariamente”, afirma o prefeito Rafael Greca.

Desvios

Prefeitura licita obras do trecho sul do Ligeirão. Ilustração: Divulgação/IPPUC

A prefeitura promete que as obras serão pontuais e não irão paralisar o sistema de transporte que funciona no eixo sul. Para a operação da linha direta de biarticulados no trecho Sul serão feitas obras de infraestrutura de ultrapassagem nos dois sentidos das estações-tubo Petit Carneiro, Silva Jardim, Dom Pedro I, Morretes, Carlos Dietzsch, Itajubá, Sebastião Paraná, Vital Brasil, Hospital do Trabalhador e Pedro Gusso no eixo das Avenidas Sete de Setembro e República Argentina. E ainda as estações José C. Bettega, Santa Regina e Ouro Verde, na Avenida Winston Churchill.

+ Leia mais: Funerária de Curitiba é descredenciada após tentar transportar corpo de forma irregular

Durante a realização dos trabalhos nas estações, os ônibus farão desvio pela pista lenta do eixo estrutural, devidamente sinalizada. “As estações serão desativadas pontualmente e o restante da linha funcionará normalmente para não prejudicar os usuários”, explica Olga Prestes, coordenadora de Mobilidade e Transporte da diretoria de Planejamento do Ippuc.

Editais

Elaborados pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), os editais da concorrência foram publicados no Diário Oficial do Município, no Diário Oficial da União e no jornal Folha de S. Paulo. A abertura das propostas, pela Secretaria Municipal de Obras Públicas, será em 12 de março.

São dois editais, na modalidade de Regime Diferenciado de Contratação (RDC), para três lotes de obras que envolvem a implantação de pavimento em concreto nos pontos de parada, novas calçadas e melhorias em 26 estações-tubo dos dois lados do eixo de transporte.

Cumpridos os prazos legais do processo licitatório e após a assinatura da ordem de serviço, o tempo estimado de obras é de 12 meses.

Recursos do município

A decisão pelos investimentos com recursos próprios, segundo a administração municipal, se deve à dificuldade do governo federal para a liberação de recursos já previstos para a cidade. As intervenções com recursos viabilizados pela prefeitura de Curitiba serão contrapartidas a novos financiamentos federais.

+ Viu essa? Curitiba terá delegacia de proteção animal após resgate de mil bichos em 2019

Ainda conforme a prefeitura, em 2018, o município já havia obtido a homologação, pelo governo federal, das Sínteses de Projeto Aprovado (SPA) para a segunda etapa das obras do Ligeirão Norte-Sul (do Santa Cândida ao Capão Raso). “Porém, desde então, não foram emitidas as Autorizações para o Início de Obra (AIO) e nem liberados os recursos necessários para o município iniciar as intervenções conforme previsto anteriormente”, diz a prefeitura, em nota divulgada em seu site.