A Prefeitura de Curitiba dará início à Ação Inverno – Curitiba que Acolhe, neste sábado (15), a partir das 18h. Durante quatro meses, a Fundação de Ação Social (FAS) ampliará os serviços de abordagem social e de acolhimento para garantir a proteção da população de rua nos dias em que as temperaturas são mais baixas na cidade.

A ação começa com a implantação de uma nova unidade que oferecerá atendimento 24 horas. A Casa de Passagem Rockfeller (Rua Rockfeller, 1.177, Rebouças), terá capacidade para até 100 homens, ampliando para 1.601 as vagas para acolhimento a pessoas em situação de rua.

+ Leia mais: Curitiba ultrapassa 5 mil mortes e 200 mil casos por coronavírus em toda a pandemia

Neste ano, o município terá 15 abrigos oficiais – sendo dois deles para atendimento a pessoas com sintomas e com covid-19 – e 12 parceiros para o acolhimento. Em cinco deles a pessoa poderá procurar espontaneamente o serviço, sem que precise ser encaminhada pelas equipes técnicas.

O presidente da FAS, Fabiano Vilaruel, explica que todas as unidades para atendimento à população em situação de rua estão organizadas em conformidade com o protocolo de cuidados contra a covid-19, da Secretaria Municipal da Saúde.

“Todos os espaços estão estruturados para garantir o distanciamento social e seguem as medidas para prevenção e controle da transmissão do novo coronavírus”. Vilaruel destaca ainda que em todas as unidades, servidores e acolhidos têm acesso a equipamentos de proteção individual e álcool em gel.

Trabalho

Durante a Ação Inverno, a FAS irá intensificar o trabalho de abordagem social nas noites em que a temperatura for igual ou menor a 9ºC. O trabalho será feito das 18h às 22h para que as pessoas sejam acolhidas antes do início da madrugada, quando as temperaturas costumam ser baixas.   

+ Veja também: Prisões de motoristas que dirigem embriagados aumentam em Curitiba

Neste período, a FAS terá 14 equipes durante o dia e 16 à noite, para percorrer toda a cidade em busca de pessoas em situação de rua e ofertar acolhimento nas unidades da Prefeitura, onde elas podem fazer a higiene, se alimentar e dormir protegidas.

Nos demais horários, o trabalho segue o cronograma de rotina orientado pela Central de Encaminhamento Social, que atende as demandas de toda a cidade 24 horas por dia. As equipes farão busca nas ruas e também atenderão às solicitações que chegam pelo 156, canal de comunicação da Prefeitura com a população.

Como acontece em todas as ações de inverno, nas noites mais frias, a FAS fará o monitoramento das pessoas que recusam atendimento – normalmente aquelas que possuem transtornos mentais -, para evitar o risco de hipotermia.

População pode ajudar

A população também pode ajudar a proteger a população em situação de rua. A FAS orienta que quem vir uma pessoa nesta condição entre em contato por meio da Central 156 ou pelo aplicativo Curitiba 156.