Um engavetamento gravíssimo deixou ao menos seis mortos, entre eles duas crianças, na tarde desta quinta-feira (25) na BR-277, em Balsa Nova, Região Metropolitana de Curitiba. O acidente aconteceu no quilômetro 124 e causa lentidão no final da Serra de São Luiz do Purunã, sentido Sul.

Diversas viaturas do Siate foram acionadas para atender a ocorrência, que deixou quatro feridos. Dois foram encaminhados ao Hospital Nossa Senhora do Rocio, em Campo Largo, um seguiu para o Cajuru, em Curitiba, e outro teve somente ferimentos leves e recusou encaminhamento.

Leia também: Polícia investiga se caminhão que causou 6 mortes estava acima da velocidade

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente envolveu três carretas e quatro carros de passeio, dos quais, três foram completamente esmagados entre os caminhões.

“Estava tudo parado por causa das obras no final na serra. Eu estava ao lado do caminhão-tanque e só senti o solavanco fortíssimo porque vários carros foram prensados embaixo da minha carreta e eu empurrei mais um que estava na frente”, contou o caminhoneiro Rafael Macedo, de 25 anos, que não se machucou. “Foi um susto muito grande e, quando olhamos para trás, vimos cenas horríveis e ouvimos muitos gritos. Agradeço a Deus por estar viva”, completou Eronildes Oliveira, 49, que estava com o marido no Cobalt branco, veículo atingido pela carreta de Rafael.

De acordo com o tenente Trevisan, do Corpo de Bombeiros, as mortes aconteceram nos três veículos prensados, uma Land Rover, um Gol e um Escort. “Foram dois óbitos em cada carro, enquanto os ocupantes dos caminhões saíram ilesos”, informou. Entre as vítimas fatais está uma mulher de 57 anos de idade, um homem de 70, e duas meninas de sete e 11 anos de idade. Elas eram irmãs.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, o caminhão-tanque envolvido estava vazio e não representa risco no local. Porém, se estivesse carregado, teria explodido em poucos minutos. “O material que essa carreta costuma transportar é o Hexano, muito mais inflamável do que a gasolina, que em contato com fogo ou calor poderia ter explodido rapidamente e causado uma tragédia muito maior”, pontuou o capitão Julian Waldrigues.

Trânsito

O congestionamento ultrapassou 15 quilômetros e o trânsito foi interrompido na praça de pedágio de São Luiz do Purunã, no km 135, para evitar novos acidentes. Além disso, os veículos começaram a desviar por uma estrada de terra no quilômetro 126.

Prisão

De acordo com o policial rodoviário federal Nilson Jakoboski, o motorista do caminhão que causou o acidente alegou ter ficado sem freio. “Quando chegou na curva e se deparou com a fila, ele não teria conseguido parar, mas a polícia vai analisar e levantar as causas”.

Ele também realizou o teste do bafômetro e confirmou que não estava alcoolizado. Mesmo assim, foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Civil em Campo Largo. “Agora será aberto inquérito e o caso será investigado”, informou.

Equipes do Instituto de Criminalística estiveram no local e os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.