O Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, terá mais uma pista. A nova estrutura de 3 mil metros de extensão, paralela à atual, vai permitir pousos e decolagens sem conexões de aviões de grande para vôos internacionais. Além disso, a pista terá um revestimento especial, que dá ganho de 20% na performance dos aviões, o que permite autonomia de voos para destinos como Miami, Nova York, Lisboa e Madri.

Com a nova estrutura, as aeronaves também poderão operar no Afonso Pena em qualquer horário, inclusivo de noite, com a ajuda de instrumentos. Elas também poderão decolar com carga máxima de combustível, mesmo a 900 metros de altitude.

A obra foi liberada pela Secretaria Nacional de Aviação Civil segunda-feira (4). A nova pista foi incluída no edital de concessão do Afonso Pena após pedidos do governo do estado e de empresários do estado. A licitação para construir a nova pista deve ocorrer até o fim de 2020. O prazo de implantação da pista é de 5 anos após o início do contrato da concessão.

LEIA MAIS – Casamentos, negócios, viagens: os sonhos adiados dos curitibanos pelo coronavírus

“A nova pista permitirá conexões diretas com centros consumidores de produtos paranaenses e trampolim rápido dos empresários para o mercado asiático, grande importador da nossa cadeia de carnes e grãos”, afirma o governador Ratinho Jr à Agência Estadual de Notícias. “A nova pista é parte fundamental da estratégia de transformar o estado em um hub logístico de toda a América do Sul”, completa o governador.
O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, diz que a nova pista põe o Aeroporto Afonso Pena no mesmo patamar das grandes capitais mundiais. “Era um desejo do setor produtivo e do setor de turismo. Teremos uma retomada de crescimento em breve, depois da pandemia e essa pista consolidará esse movimento”, avalia o secretário.

Pistas

A principal pista do Afonso Pena tem 2,2 mil m e não é apta para grandes decolagens ou ao transporte pesado de cargas pela relação entre a altitude de São José dos Pinhais em relação ao nível do mar e a sua extensão. A secundária tem 1,7 mil metros, foi reinaugurada em 2019 e permite deslocamento mais rápido nos trajetos rumo ao Sudeste do Brasil.

VEJA TAMBÉM – Ação cobra medidas contra resolução que liberou comércio e serviços não essenciais em Curitiba

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), passaram pelo Afonso Pena 6,5 milhões de passageiros em 2019, 3% a mais do que no ano anterior. Esse número corresponde a 7,5% da movimentação de todos os aeroportos administrados pelo governo federal ano passado.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?