A noite de sexta-feira (26), foi de aglomeração, correria, bombas e até prisão em um bairro nobre de Curitiba. Apesar dos inúmeros pedidos das autoridades para manter o distanciamento social para tentar conter o avanço da pandemia de coronavírus, mais de 500 jovens estiveram em bares já conhecidos da cidade. A Guarda Municipal (GM) foi chamada para intervir e quase foi agredida pelos frequentadores – um homem foi detido por xingar e tentar chutar os policiais.

+Leia mais! GM discute com cliente em bar com 300 pessoas. “Vai falar lá na UTI que você fica bebendo até às ’11’ horas”

Segundo a prefeitura de Curitiba, duas grandes aglomerações ocorreram na capital em estabelecimentos comerciais dos bairros Uberaba e Batel. Em um bar localizado na Avenida Senador Salgado Filho, 200 pessoas estavam no local. Com a chegada da GM, foi aplicado um auto de infração no valor de R$ 5 mil e os frequentadores foram orientados a voltar para casa.

A mesma atitude precisou ser tomada em três estabelecimentos na Rua Coronel Dulcídio, no conhecido Shopping Hauer. Perto de 300 pessoas estavam no momento da chegada da Guarda Municipal. Segundo relato das equipes que atenderam a ocorrência, um dos funcionários de um bar começou a xingar e tentou chutar os guardas municipais, incitando outras pessoas a hostilizar os servidores. O homem foi levado ao 12º Batalhão da Polícia Militar para responder por desacato. Os três estabelecimentos foram autuados em R$ 5mil.

+Leia mais! Lockdown? Paraná “fecha tudo” com novas medidas contra 3ª onda da covid-19

Ação ocorreu em Curitiba na véspera das medidas mais restritivas contra covid-19. Foto: Prefeitura de Curitiba.

Rigor maior

As medidas restritivas mais duras anunciadas na sexta-feira (26) pelo governador Ratinho Junior já estão valendo desde à zero hora deste sábado (27). Com o decreto, além de iniciar mais cedo o toque de recolher, que será agora das 20h às 5h, a cidade deverá manter fechadas academias, shoppings e todo o comércio de rua não-essencial, até o dia 8 de março. Somente supermercados, farmácias, padarias, postos de gasolina e afins podem continuar funcionando, desde que respeitem os horários do toque de recolher. Restaurantes podem abrir para atender no sistema delivery, drive-thru e take away (cliente pega o produto no estabelecimento).

A decisão foi tomada para tentar conter o avanço da epidemia de coronavírus no Paraná que, segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, está “no pior momento desse um ano de enfrentamento”. Embora os prefeitos tenham autonomia para editar decisões locais, Curitiba segue também o plano do governo estadual.

As escolas também devem ficar fechadas, com as aulas sendo realizadas de maneira on-line durante o período.

+Assista! Ratinho Jr revela novas medidas restritivas no Paraná contra covid-19