O jornalista e vereador Cristiano Santos, 40 anos, está evoluindo clinicamente a cada dia na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Vitta, no Bairro Alto, em Curitiba. Internado do setor de emergência desde o dia 21 de novembro, familiares e amigos aguardam com ansiedade a possibilidade da retirada da ventilação mecânica e até na redução nos medicamentos que são utilizados contra o novo coronavírus.

Segundo a assessoria de imprensa do vereador, Cristiano Santos está estável, sedado, com uso do ventilador e fora do setor de isolamento. “A equipe do Hospital informou à família que iniciou a redução dos medicamentos para, aos poucos, incentivar a respiração natural do Cristiano. O mesmo acontece para os demais sedativos. Assim, temos esperança e fé que em breve ele estará acordado e sem a necessidade da ventilação mecânica. Os demais órgãos, rins e coração, seguem sem complicações”, relata a nota enviada a imprensa.

+Leia mais! Em meio à crise de casos da covid-19, prefeitura de Curitiba abre 14 leitos de UTI

Ainda na comunicação, a família comemora os avanços diários e agradece as orações dos amigos e fãs do jornalista. “Continuamos comemorando todos os pequenos avanços relatados pela equipe médica e agradecendo a corrente de orações e pensamentos positivos presente desde o internamento de Cristiano”, diz a nota.

Relembre o caso de Cristiano Santos

O apresentador do Bora Paraná da TV Bandeirantes teve a confirmação da covid-19 na segunda semana do mês de novembro ao apresentar perda de paladar e dores de cabeça. Ao saber que estava infectado, se afastou das funções na Câmara Municipal de Curitiba (CMC) e da apresentação do programa que é exibido ao vivo pela manhã. Ficou isolado em casa conforme orientação das autoridades sanitárias, mas apresentou piora no quadro respiratório.

+Viu essa? Surto de covid-19 em lar de idosos da RMC provoca sete mortes em uma semana

Os médicos decidiram pela internação no dia 20 de novembro e entenderam que a ventilação mecânica iria ajudar o vereador na respiração e assim evitar o cansaço, um dos principais sintomas da covid-19. O vereador não concorreu à reeleição do último dia 15 de novembro, pois deseja focar aos estudos e a prática do jornalismo. Além disto, em várias oportunidades, chegou a dizer recentemente que é favorável a renovação nos cargos públicos.

“Acredito em renovação e por acreditar na necessidade que tenho de ver os problemas novamente como curitibano sem posição política”, afirmou o apresentador no final de setembro. Sou jornalista e não me considero um político, mas “estar” político. Seu pai, o ex-vereador e ex-deputado estadual Roberto Aciolli (PV), tentou retornar a CMC, mas não foi eleito.