A Casa dos Pobres São João Batista, no bairro Rebouças, em Curitiba, foi novamente invadida no sábado (11). Em menos de 48 horas, foram três momentos de tensão que chegaram a ter ameaças e até perseguição nas ruas próximas ao albergue, que fica na Rua Piquiri. Na madrugada de quinta-feira (9), marginais levaram computadores cobertores, bicicletas infantis e até torneiras, além de vandalizarem o local que ajuda 142 crianças e adultos com câncer. A Polícia Militar (PM) fez o primeiro atendimento, mas ainda não localizou os responsáveis pelas ações.

LEIA AINDA – Alerta da Anvisa sobre uso da ivermectina contra o coronavírus é reforçado pela Prefeitura de Curitiba

Depois do primeiro furto e com inúmeros prejuízos, a direção da Casa dos Pobres imaginou que a ação criminosa iria cessar na quinta. Porém, na madrugada de sexta-feira (10), um dos portões foi arrebentado em uma nova tentativa de invasão. No entanto, nada foi levado e o conserto foi realizado horas depois, por um serralheiro que precisou soldar a porta.

Portão do albergue foi danificado na ação dos ladrões. Foto: Colaboração

No fim da tarde de sábado (11), um homem colocou um tambor de metal em uma das entradas do albergue e mesmo com cerca elétrica e arame farpado, conseguiu entrar no espaço. Lá dentro, foi surpreendido com a presença de uma coordenadora. Ao avistar a moça, o indivíduo a ameaçou com uma pedra e fugiu.

VIU ESSA? Desconto em aposentarias de servidores dispara no Paraná com novas regras

Ao perceber os gritos, Rafael Pussoli, presidente voluntário da Casa dos Pobres, foi atrás do homem e aí começou a perseguição. Foram 15 quadras correndo, mas isso nada adiantou.“Estava correndo e chamei a Polícia Militar pelo 190, mas o atendente queria saber o que ele tinha furtado para depois agir. Para não xingar o policial, disse muito obrigado, e falei que iria na Corregedoria da PM na segunda-feira (13). O rapaz disse que outros policiais estavam em uma chamada e que só existem duas pessoas para atender a Vila Torres. E eu perseguindo o ladrão a pé, a quatro quadras da Companhia da Polícia Militar. Fui tratado muito mal”, comentou Pussoli.  A reportagem da Tribuna do Paraná procurou a assessoria de comunicação da PM para comentar o caso, mas até não obteve resposta até a publicação desta matéria.

LEIA MAIS – Santuário Perpétuo Socorro em Curitiba reabre; Padre Celso tem melhora clínica

Casa dos Pobres São João Batista

O albergue funciona desde 1954 e nestes 66 anos, já ajudou mais de 2 milhões de pessoas. Atualmente, são 35 colaboradores que auxiliam no cuidado com crianças carentes e adultos com câncer. Com os prejuízos causadas com o furto, os responsáveis pedem doação de cobertores e alimentos, que podem ser deixados na sede localizada na Rua Piquiri,326, no Rebouças.

Para entrar em contato com a A Casa dos Pobres São João Batista, o telefone é (41) 3333-8373. E quem quiser também pode colaborar com uma doação financeira, com depósito ou transferência para conta do albergue:

Caixa Econômica Federal
Agência 1627
Conta Corrente 1410-5
CNPJ 76685627/0001-95


Precisamos do seu apoio neste momento!

Este conteúdo te ajudou? Curtiu a forma que está apresentado? Bem, se você chegou até aqui acredito que ficou bacana, né?

Neste cenário de pandemia, nós da Tribuna intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise. Bora ajudar?

Ao contribuir com a Tribuna, você ajuda a transformar vidas, como estas

– Pai vende vende 1000 bilhetes de rifa com a ajuda da Tribuna pra salvar o filho
– Leitores da Tribuna fazem doação de “estoque” de fraldas para quíntuplos
– Leitores se unem para ajudar catadora de papel de 72 anos

E tem várias outras aqui!

Se você já está convencido do valor de sua ajuda, clique no botão abaixo