Apesar do crescimento no número de vacinados contra a covid-19, autoridades da Saúde de Curitiba estão preocupados com o aumento de casos ativos registrados na última semana. Em cinco dias consecutivos, a média de novos infectados ultrapassou 500 pessoas por dia. Até o momento foram contabilizadas 264.929 confirmações com 6.825 mortes na cidade provocadas pela doença desde o começo da pandemia.

LEIA TAMBÉM:

> Curitiba amplia vacinação da covid e convoca nascidos no 1º semestre de 1993

Pandemia consolida lojas mais tradicionais de Curitiba! Mais antiga tem 134 anos de fundação

> Trecho problemático de Curitiba recebe asfalto após anos de poeira e transtornos

Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, que acredita que a chegada de novas variantes da doença e a falta de cuidados da população no combate ao coronavírus estão resultando em um aumento diário de casos. Só para ter uma ideia, na terça-feira (10), foram 598 novos casos de covid-19 e 16 óbitos de moradores.  

A médica infectologista Marion Burger, em entrevista ao Bom dia Paraná, da RPC, reforçou nesta quarta-feira (11), que as medidas de proteção estão sendo deixadas de lado com as aglomerações vistas principalmente no último fim de semana. “A gente vinha tendo melhores resultados devido ao efeito da vacinação com a diminuição de óbitos e internação, mas infelizmente, os casos voltaram a crescer e realmente nos preocupa. Esse aumento deve-se possivelmente a entrada de uma nova variante e a diminuição dos cuidados da população. No último fim de semana, realmente foi impensável a gente vivenciar essas aglomerações e o descuidado das pessoas.  É preciso que todos tenham consciência, e não é somente a vacinação que vai nos livrar do vírus”, desabafou Burger.

Ainda de acordo com a infectologista da prefeitura, o relaxamento nas atividades das pessoas que foram vacinadas ou mesmo que já tenham sido infectadas, está impactando nos resultados diários. Além disso, percebe-se que a máscara está sendo esquecida. “O uso da máscara não pode ser deixada de lado para quem gosta do próximo e de si mesmo. Para ter um 2022 melhor, é preciso diminuir ainda mais a circulação do vírus. Nós precisamos chegar a menos de 200 casos por dia em Curitiba para que a gente volte a respirar novamente. Pessoas vacinadas ou que já tenham sido infectadas podem transmitir, e o grande cuidado precisa continuar ”, comentou Burger.

Bandeira não muda

Após quase cinco meses entre bandeiras laranja e vermelha, Curitiba está em um período menos restritivo de bandeira amarela desde o dia 08 de junho. Com isso, mercados, shoppings e outros comércios passaram a funcionar diariamente. Festas corporativas com até 300 pessoas e o fim do toque de recolher foram medidas que passaram a vigorar após a queda no número de casos, mortes e internamentos.

Apesar da preocupação e o alerta que a doença segue perto de todos, a Secretaria Municipal ressalta que não deve retornar a adotar medidas mais rígidas no combate à covid-19, ou seja, a bandeira amarela vai seguir. “Dificilmente a bandeira mudará de cor, mas independentemente disso, os cuidados precisam mudar de cor. Não se baseiem em decretos e bandeiras, e sim, vejam o seu círculo de amizade. Tenho certeza que conhecem pessoas que estão internadas ou doentes. A doença é traiçoeira e não se pode vacilar”, disse a infectologista. A decisão de manter ou alterar a bandeira ocorre no dia 18 de agosto.

Web Stories

Gigante!!

Nova Havan será quatro vezes maior que a loja que será abandonada em Curitiba

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz vai saber dizer!

Malhação Sonhos

Nat impede que Duca enfrente Lobão

Lindas!

Cinco árvores exóticas e raras de Curitiba