Uma panela de pressão causou tumulto e bloqueou a Praça Marechal Alberto Ferreira de Abreu, em frente ao Hospital-Geral de Curitiba por quase 4 horas nesta quarta-feira (25). A panela foi vista pela primeira vez por volta das 7h30 e às 9h toda a área ao redor da praça estava isolada. Por volta de 12h40 o Esquadrão Antibombas da Polícia Militar descobriu que não passava de um alarme falso.

A panela foi deixada num dos bancos da praça e estava embrulhada em uma sacola de mercado. Logo que a equipe do Esquadrão Antibombas chegou, os policiais passaram certo tempo analisando o possível explosivo e descobriram que não havia nada na panela.  

Imagem mostra a praça e os arredores do objeto que mobilizou o bairro numa ameaça de explosivo. (Foto: Reprodução/Google)

Logo que os policiais descobriram que não representava ameaça alguma, a panela foi retirada do local e o trânsito foi liberado. A operação envolveu, ao todo, 14 policiais militares. 

Por causa do trabalho da PM e pelo risco de explosão caso se tratasse de uma bomba, a área da praça, na Rua Teixeira Coelho, bem como todas as ruas que davam acesso à ela, ficaram bloqueadas até para passagem de pedestres.  Muitas pessoas que precisavam passar por ali ou até mesmo ir a Unidade da Criança, da Clinipam, tiveram de esperar. Os ônibus chegaram a ser desviados e passageiros desceram um ponto à frente por causa do bloqueio.