A história de luta do José Eduardo Fernandes é pra aplaudir de pé. Depois de perder a esposa, que morreu ao dar a luz do pequeno Felipe, ele começou a trilhar o árduo caminho de cuidar, agora viúvo, do filho recém-nascido com paralisia cerebral.

Com a ajuda de muitos, inclusive de centenas de leitores da Tribuna, ele não só deu uma infância mais confortável e feliz para o filho – hoje com 10 anos de idade -, como transformou o ato de cuidar em missão de vida e passou a ajudar dezenas de famílias com a criação da ONG Anjo Felipe.

Os desafios, porém, não diminuíram. Após transformar o sonho da ONG em realidade, veio mais um baque. José Eduardo, sua companheira e esposa Gennifer e também o próprio Felipe foram contaminados pelo coronavírus, o que atingiu em cheio os planos de dedicação exclusiva de José Eduardo à ONG. Ele havia deixado o emprego formal que tinha para abraçar a nobre causa.

+ Caçadores de Notícias: Sapataria tradicional de Curitiba tem segredo de 34 anos de sucesso revelado: simpatia, humildade e talento

“Justamente pelas dificuldades enfrentadas nesse período da covid-19, quando ficamos todos internados, eu tive que retornar ao mercado de trabalho. Acabei ficando 23 dias sem trabalhar no projeto das ‘Rifas do Bem‘ e as vendas diminuíram. Fiquei chateado pois imaginava que dando foco à ONG e às rifas talvez alancasse mais as ações”, queixou-se.

Para quem ainda não ligou o nome à pessoa, inicialmente em prol do Felipe, mas agora em benefício de dezenas de famílias, o José Eduardo lançou as Rifas do Bem, sorteando carros clássicos super conservados ou reformados como Fuscas, Kombis e outras “máquinas”. A iniciativa foi um sucesso, 21 carros já foram rifados e 35 famílias receberam doações em dinheiro ou mesmo insumos (fraldas, equipamentos, comida), transformando as rifas em verdadeiros propulsores dessa corrente do bem.

“Existem outros tipos de rifa por aí, mas o nosso é 100% solidário. O dinheiro é revertido para ajudar crianças com necessidades especiais e famílias que têm dificuldades em mantê-las”, conta. “E nossos carros não deixam nada a desejar. Sou muito criterioso na escolha dos prêmios”, garante José Eduardo.

A satisfação com os resultados alcançados até aqui não é abalada pelas dificuldades enfrentadas neste momento. “O diferencial é olhar as necessidades diárias que tanto a criança especial, como sua mãe e ou pai enfrentam. Pois, como também sou pai de criança especial grave, conheço bem as adversidades que elas enfrentam”.

Como ajudar?

A ONG está perfeitamente legalizada (veja como doar diretamente para a ONG ao final da matéria), mas hoje vive exclusivamente das rifas. E dessa vez, as vendas não andam nada bem. A bola dá vez é uma Kombi 1975 (Corujinha), coisa mais linda do Brasil. “Ela é totalmente restaurada, ano 75, motor 1500, impecável. O diferencial dessa rifa é que teremos um segundo prêmio, que também é um clássico. Uma moto Honda XL 1984”, fala, com orgulho.

Outro diferencial deste sorteio é que o ganhador poderá escolher entre a Kombi ou o valor de R$ 50 mil em dinheiro. Ou seja, a chance e levar uma bolada investindo apenas R$ 29 é muito grande. Para este sorteio o objetivo é ousado, mas o retorno possível também. São 5 mil números e quem comprar um bilhete, automaticamente leva outro. Ou seja, cada chance sai por R$ 14,50.

+ Caçadores de Notícias: Panfleteira de Curitiba é destaque na difícil profissão: “Feliz e agradecida”

Com o dinheiro arrecadado com esta rifa, José Eduardo garante que muita gente será beneficiada. Aliás, todas a prestação de contas é feita nos grupos de whatsapp dos participantes das rifas, bem como no site da ONG. Com o montante desta rifa, a previsão é comprar dois guinchos para auxiliar na saída das crianças das camas (ao custo de R$ 6 mil cada), 35 cestas básicas e 3 mil fraldas, além da ajuda na alimentação especial de um dos acolhidos, que tem o custo de R$ 2,5 mil por mês.

“Precisamos desse apoio, pois não recebemos nenhuma ajuda fora a que vem dos sorteios. A partir de julho a ONG passou a ter seus próprios sorteios para ajudar crianças e jovens com diversas necessidades, e Rifas do bem é uma ação voltada ao Felipe”.

+ Amigo de Negócios: Você sabe o que é Bitcoin, como funciona e quais suas vantagens?

Para não misturar as coisas, já que o objetivo é ajudar o maior número de crianças possível, José Eduardo separou as rifas do bem em prol do Felipe das que vão ajudar às pessoas assistidas pela ONG. Além da Kombi, tá rolando a rifa de um Gol GL (Quadrado), ano 1991. Essa é especial para ajudar nos custos de tratamento e terapias do Felipe. Além do prêmio principal, tem mais três prêmios que darão aos ganhadores números nas próximas rifas.

As máquinas e os sorteios

Toda a mecânica dos sorteios, as regras de participação e como funcionam os pagamentos dos bilhetes e a entrega dos prêmios estão no site da ONG Anjo Felipe. A seguir, veja fotos da Kombi e como participar. Se quiser comprar um bilhete, clique no link logo abaixo das fotos.

Kombi Corujinha 1975 + Honda 1984

>>> Quer participar da rifa? Acesse esse link e saiba como

Cada bilhete custa R$ 29, mas o participante compra um e ganha outro na hora para aumentar suas chances.

GOL CL 1991

>>> Para concorrer a essa jóia, acesse este link e compre um bilhete por apenas R# 38. Nesta rifa, são apenas 1 mil participantes.

O site da ONG Anjo Felipe é https://onganjofelipe.com.br/ e o contato direto com o José Eduardo Fernandes, para doações e informações sobre as rifas, é (41) 9 9519-2458. Se você não quer contribuir, pelo menos indique o link para algum amigo apaixonado por carros clássicos e por fazer o bem