Desde quarta-feira (14), milhares de usuários do Facebook avaliaram negativamente a página da Prefeitura de Curitiba na rede social. De 900 avaliações com 1 estrela, o feedback nesta categoria passou para quase 3 mil em apenas dois dias. Na manhã desta sexta-feira (16), a opção para que novas avaliações fossem feitas foi bloqueada pela administração da página. A ferramenta também foi desativada na página pessoal do prefeito Rafael Greca (PMN).

Também chamada de “Prefs”, a página ficou conhecida nacionalmente na gestão passada por causa do humor e a interação dos administradores com a população.

Crise

O bloqueio ocorre em meio aos trâmites do pacote de ajustes fiscais enviado à Câmara de Vereadores por Greca. A ação tem gerado mobilizações diversas da classe de servidores municipais, em greve desde a segunda-feira.

Entre os comentários deixados pelos usuários que fizeram as classificações estão postagens como “promessas falsas de uma gestão mentirosa! Amar Curitiba é subjetivo, as pessoas precisam de cuidado e de respeito!” e “ prefeitura mostrando a que veio: com falsas promessas, em 180 dias teria seus problemas resolvidos como num “passe de mágica”… Só que não!”.

Após o bloqueio para a interação com o público, os usuários se queixaram, enchendo de questionamentos publicações da própria prefeitura . Entre as reclamações estão comentários como “ao invés do diálogo, mais opressão e prepotência… é essa a postura… vergonhosa…” e “Curitiba voltou mesmo, voltou para o tempo dos senhores de engenho”.

Ataque orquestrado

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura de Curitiba, a quantidade de classificações negativas na página não é comum. Por isso, a ferramenta foi bloqueada. As avaliações seriam resultado de “um ataque orquestrado”, que incluiria diversas ações de desqualificação dos serviços da administração. Entre elas, a divulgação de vídeos e postagens criados especificamente para a causa. A prefeitura, no entanto, não deixa claro o motivo do bloqueio das classificações na página

Cerca de mil avaliações negativas, ainda conforme a administração, foram recebidas em um período de nove horas, nesta quinta-feira (15).

Colaborou: Cecília Tümler

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução