Um dia após a morte por coronavírus de mãe e filha, de 84 e 64 anos, nesta terça-feira (12), a prefeitura de Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, decretou lockdown para três áreas da cidade: Capivari (Barragem), Ribeirão Grande e Jaguatirica. O lockdown tem como objetivo a contenção do avanço do coronavírus e pode durar 15 dias, podendo ser prorrogado. Até o boletim desta quarta-feira da Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa), a cidade tinha 12 casos confirmados, três mortes e cinco recuperados. O terceiro óbito na cidade é de um homem de 84 anos no bairro Paiol da Baixo.

+Leia mais! Pandemia em Curitiba: veja como está a distribuição de coronavírus pela cidade

As duas mulheres vítimas da covid-19, segundo a prefeitura de Campina Grande do Sul, moravam na região de Jaguatirica. Elas estavam internadas desde a semana passada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Nossa Senhora do Rocio, em Campo Largo, também na RMC. Além das duas vítimas, outra mulher, de 54 anos, também filha da idosa que não resistiu ao coronavírus está internada em estado grave e respirando com ajuda de aparelhos.

+Leia mais! Criança com coronavírus não resiste e morre na UTI do Pequeno Príncipe

“Ele trabalha em Cajati ( São Paulo) e mora em Jaguatirica, onde tem a chácara. O tio foi orientado a se cuidar, mas mesmo assim acabou infectando os familiares. Toda a família está apavorada e foi pedido para que todos façam exames. Uma tragédia.
A gente pensa que não vai acontecer perto da gente, mas é preciso se cuidar. A doença é silenciosa”, disse Jorge Prado, integrante da família atingida pelo coronavírus.

A prefeitura da cidade informou ainda que o marido da paciente morta testou positivo e encontra-se isolado, em sua própria residência. O homem, também de 54 anos, estava trabalhando até poucos dias atrás na região do Vale do Ribeira. A prefeitura suspeita que ele tenha contraído o vírus lá e passou para os familiares.

Além deles, uma jovem de 23 anos, nora do casal, também está com o vírus, mas não apresenta sintomas e segue em isolamento absoluto.

+Viu essa? Receita Federal paga o primeiro lote de restituição em maio

Ericlis Caron, neto e sobrinho das vítimas fatais do coronavírus em Campina Grande do Sul, gravou um vídeo emocionante, onde contou sobre como a doença abalou a família e os trâmites dos casos confirmados.

https://www.facebook.com/ericliscaronoficial/videos/265477427937277/?v=265477427937277

O lockdown

Com a medida, a população destas localidades só poderá sair para casos urgentes como compra de alimentos, medicamento, produtos de limpeza e higiene pessoal. Aí vem a importância ainda maior do isolamento social, medida que pode impedir o isolamento, conforme explicou a secretária de saúde de Curitiba no início de abril.

“O tempo todo, até agora, trabalhamos no sentido de buscar o equilíbrio entre a saúde das pessoas e a liberdade econômica. Mas a prioridade é a vida”, disse o prefeito de Campina Grande do Sul Bihl Zanetti. A cidade está no corredor que liga São Paulo até a capital, o que passa a ser um motivo de grande preocupação, já que São Paulo é o epicentro dos casos no Brasil.

O sistema de lockdown chegou, inclusive, a ser cogitado pelo governador Ratinho Junior em abril, se os números de coronavírus aumentassem no Paraná.

+Leia mais! Polícia prende em Curitiba homem que ameaçou juiz do lockdown no Maranhão


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?