Os estudantes secundaristas que ocupavam o Colégio Estadual do Paraná (CEP) desde 7 de outubro deixaram o local na noite desta segunda-feira (7). Os oficiais de justiça cumpriram a reintegração de posse no início da noite. Por volta das 20h55, os alunos já tinham saído e as dependências do CEP passavam por vistoria.

Cerca de 50 alunos estavam no CEP quando a desocupação começou. Representantes do próprio colégio, do Conselho Tutelar e das Comissões de Direitos Humanos e Criança e do Adolescente da OAB-PR acompanharam a liberação do prédio.

De acordo com o presidente da Comissão de Direitos Humanos, Alexandre Salomão, o diálogo com os estudantes do CEP começou às 12h.

Desocupações

Após os alunos terem rejeitado um acordo intermediado pelo Ministério Público (MP-PR) em 28 de outubro, a Justiça determinou a reintegração da escola. Com a decisão, o governo do Paraná havia dito que esperava que a desocupação ocorresse nesta semana. O procurador-geral do Paraná, Paulo Rosso, chegou a afirmar que, “com a reintegração de posse, no caso do CEP, eles [os alunos] vão ter que deixar [o prédio] por bem ou por mal”.

Desocupação CEP

O CEP é a maior escola secundarista do estado e se tornou um dos símbolos para o movimento de ocupações, chamado pelos alunos de “Primavera Estudantil”. Após a reintegração do CEP, a expectativa do Executivo é de que outras escolas também sejam desocupadas, sem resistência.

Levantamentos da Procuradoria-Geral do Estado e da Secretaria de Estado da Educação (Seed) apontavam que 55 colégios continuavam tomados na tarde desta segunda-feira (7), entre eles, o CEP. O número agora é de 54. No auge da mobilização, 831 chegaram a ser ocupadas.