Heróis não têm capa!! Esta frase não podia ser melhor para descrever um salvamento realizado por um pescador na tarde deste domingo, na Praia Central, Matinhos, Litoral do Paraná. Apelidado pela comunidade de Aquaman, Murilo Ramos estava recolhendo as tainhas pescadas no litoral paranaense quando viu um rapaz se afogando bem em frente de onde estava “estacionada” sua canoa de pesca.

As tainhas estavam sendo retiradas da canoa quando o pescador ouviu gritos de pessoas que viram o rapaz se afogando no mar de Matinhos. Murilo Ramos não pensou duas vezes, largou as redes com os pescados e partiu pro mar na tentativa de salvar o rapaz que já estava afundando entre as ondas da praia.

>> Veja aqui o vídeo do salvamento em Matinhos!

A rápida ação de Murilo, que depois ganhou o apelido de Aquaman, fez toda a diferença. O rapaz que se afogava foi retirado do mar com vida. Aquaman é um super-herói e rei dos mares criado pela DC Comics, por isso a analogia dos amigos com a atuação do pescados no salvamento.

“Era um rapaz de mais ou menos 25 anos. Eu estava ali tirando o peixe da canoa quando vi a turma gritando. Eu larguei o peixe e saí correndo, fui buscar a pessoa. Foi surpreendente”, relembra o pescador.

A vítima foi retirada da água consciente, mas demorava para responder perguntas. “Ele estava bem lento para processar as coisas. O Corpo de Bombeiros depois atendeu ele, mas não chegou a ser levado ao hospital”, contou.

Apesar de emocionante, esta não é a primeira vez que o Aquaman de Matinhos salva um banhista. “Isso acontece com frequência ali na frente. É bem difícil das pessoas irem a óbito porque sempre tem pescador por ali, a turma não deixa”, revela Murilo.

Águas perigosas

Apesar de ser um local frequentado principalmente por surfistas, a região dos pescadores oferece perigo. “Pra quem não tem experiência é perigoso por causa do rio que tem ali do lado e também pelas embarcações. É um pico de surf, mas tem que tomar cuidado porque uma embarcação pode passar por cima do surfista”, ressaltou Murilo.

Enquanto que o mar oferece perigo aos banhistas, para os pescadores a água salgada tem trazido fartura este ano. Diariamente, Murilo segue para o mar lá pelas 6 horas e não tem hora para voltar. Ele pode passar o dia todo no mar para garantir o barco cheio de peixe. “Teve dias que cheguei em casa lá por 19 horas. Vai do dia, se não tem nada, a gente fica na espera. No domingo voltamos cedo porque o cardume apareceu cedo”, disse.

As tainhas são levadas para o Mercado de Pescados de Matinhos, que fica na região central, na Rua da Fonte, nº 591, na beira mar. Ele abre diariamente, das 8 às 18 horas.