O valor máximo para compras nos 32 Armazéns da Família será maior a partir desta quarta-feira (20). A cota de compra para famílias formadas por até duas pessoas vai passar de R$ 200,00 para R$ 300,00 e para famílias compostas por mais de duas pessoas sobe de R$ 400,00 para R$ 450,00. O aumento vai promover a elevação do poder de compra pelas famílias cadastradas no programa, mantido pela Secretaria Municipal de Abastecimento (Smab).

Para estabelecer o aumento das cotas, os técnicos da secretaria consideraram o aumento do salário mínimo nos últimos cinco anos e do custo da alimentação. “O custo da alimentação subiu bastante nestes últimos anos e o nosso objetivo é corrigir o poder de compra das famílias. Com a atualização das cotas, elas poderão passar a comprar mais”, afirmou o secretário municipal de Abastecimento, Aldo Fernando Klein Nunes. A portaria que regulamenta a medida será publicada nesta quarta-feira (20) no Diário Oficial do Município.

O valor da renda familiar para ingressar no programa permanece 3,5 salários mínimos, equivalente a R$ 2.373,00. Esse valor permaneceu congelado por três anos, desde janeiro de 2010 e em maio deste ano foi reajustado para que o programa social cumprisse sua função. “O salário mínimo foi reajustado ao longo dos anos e o valor da renda para entrar no programa foi permanecendo o mesmo. O Armazém da Família é um programa social e, com o valor anterior, muitas famílias de baixa renda ficavam de fora, pois a renda exigida engloba todos os membros de uma mesma família”, explica o secretário.

Programa Social

Os armazéns da família de Curitiba atendem, mensalmente, cerca de 180 mil pessoas. O programa também beneficia famílias de baixa renda da região metropolitana de Curitiba. Através de convênios com a Prefeitura de Curitiba, as prefeituras vizinhas podem implantar o programa em seus municípios com o apoio da Secretaria Municipal de Abastecimento, que gerencia o programa. Atualmente, Curitiba mantém convênio com sete municípios da região metropolitana: Campo Magro, Agudos do Sul, Bocaiúva do Sul, Campina Grande, Cerro Azul, Fazenda Rio Grande, Mandirituba e Pinhais, todos já com unidades próprias. Esses convênios beneficiam mais de 100 mil pessoas em toda a Região Metropolitana.