No último final de semana, nove postes de fibra da ciclovia da Linha Verde, próximo à Avenida Presidente Wenceslau Braz, foram serrados, quebrados na base e tiveram suas luminárias de LED furtadas. Todos haviam sido recém-instalados nesse ponto no bairro Parolin.

Já na Rua Aluízio Finzetto, no Prado Velho, foram furtadas 26 luminárias e dezenas de metros de cabos da nova iluminação.

Os casos se somam para mostrar que o problema atinge toda a cidade. Apenas nas últimas semanas, esses 35 furtos geraram prejuízo de cerca de R$ 64,4 mil e atrapalharam a revitalização das ciclovias da capital.

A partir destes registros, o Departamento de Iluminação Pública da prefeitura começou a concretar a base dos postes e as caixas de passagem dos cabos de energia. “Estamos fazendo Boletim de Ocorrência na polícia de todos os casos e avisando a Guarda Municipal”, explicou nesta terça-feira (8) o diretor de Iluminação Pública, Tony Malheiros.

Obras

De acordo com a prefeitura, os furtos têm atrapalhado o plano de melhoria das ciclovias da cidade. Neste ano, já foram investidos R$ 2,3 milhões apenas na implantação e adequação do sistema de iluminação de 18,5 km de ciclovias. Metade dessas obras já foi concluída. O trabalho envolve a implantação da iluminação em ciclovias localizadas na Linha Verde Sul, Parque São Lourenço, Passeio Público e nas ruas Aluízio Finzetto, João Negrão, Conselheiro Laurindo, Alexandre Gutierrez e Alferes Poli.

As obras do Departamento de Iluminação Pública começaram em maio e foram divididas em dois lotes, com prazo de execução de 180 dias. O lote 1 contempla 8 km de ciclovias na Linha Verde, entre o viaduto da Avenida Marechal Floriano e o terminal de ônibus do Pinheirinho. Neste trecho, estão sendo implantados 24 mil metros de cabos elétricos e cerca de 400 luminárias baixas com lâmpadas LED de 60 watts de potência. O investimento é de R$ 882 mil.

Já o segundo lote, que tem custo de R$ 1,47 milhão, abrange 10,5 km da ciclovia Belém Norte, entre o Parque São Lourenço e o Passeio Público, e as ruas Aluízio Finzeto, João Negrão, Conselheiro Laurindo, Cyro Vellozo e na Alexandre Gutierrez, entre a Praça do Japão e a Avenida Getúlio Vargas. Serão colocados 30 mil metros de cabos elétricos e 600 luminárias com lâmpadas LED de 60 watts.

De acordo com associações de ciclistas, Curitiba conta com cerca de 214 km em sua malha cicloviária, que inclui as vias calmas, ciclovias, ciclofaixas, ciclorrotas e passeios compartilhados. A falta de iluminação adequada e o excesso de buracos são problemas recorrentes relatados por usuários das bicicletas.