Cerca de 5 mil cães e gatos de regiões carentes de Curitiba terão acesso a consultas gratuitas com médicos veterinários residentes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) a partir do mês de julho. A ação é resultado de parceria firmada na manhã desta quarta-feira (20) entre a prefeitura de Curitiba, via Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e a universidade. As regionais atendidas até o fim de 2017 serão Tatuquara, Portão, CIC, Matriz (Centro), Boa Vista, Boqueirão, Cajuru e Bairro Novo.

Na parceria, a prefeitura fornecerá medicamentos, o material necessário para as consultas e também uma unidade móvel para atendimento dos animais. Já a UFPR disponibilizará os médicos veterinários em período de residência para realização de exames físicos, vacinação múltipla e administração de vermífugos e antipulgas.

Leia também: Curitiba não sabe quantos cachorros de rua existem na cidade

De acordo com a professora Rita de Cássia Garcia, coordenadora do Programa de Residência em Medicina Veterinária da UFPR, oito residentes atuarão diariamente no programa, enquanto outros 40 especialistas prestarão apoio. “Assim, poderemos corrigir diversos problemas já no primeiro contato com o animal e também atender questões que envolvam outras áreas da Medicina Veterinária, como oftalmologia ou dermatologia”, exemplificou.

Segundo Rita, o programa auxiliará a população carente ao mesmo tempo em que proporcionará uma experiência única aos profissionais que atuarão nessas comunidades, já que estão no começo de carreira. “É uma ação inovadora porque é a primeira parceria com a UFPR que promove estrutura para atendimento de 5 mil animais no período de um ano”, pontuou.

Para ter acesso ao atendimento veterinário, basta que o dono leve seu animal até a unidade móvel disponível em sua região. “As datas serão divulgadas pela unidade regional e não será necessário realizar cadastro prévio”, adianta a secretária municipal de meio ambiente Marilza do Carmo Dias.

Leia também: GM aplica média de 154 multas por dia desde que começou a fiscalizar trânsito

Ainda segundo Marilza, os animais de rua também serão atendidos pelo programa. Para isso, é necessário que uma pessoa leve o cão ou gato até a unidade. “Temos feito um trabalho intenso com ONGs e voluntárias da capital para que nos ajudem nesse trabalho”, pontuou.

As regiões beneficiadas com o programa foram escolhidas devido à situação de vulnerabilidade social de seus moradores e também do alto índice de abandono e maus tratos de animais registrados nos últimos dez meses já que, neste período, a SMMA recebeu 4.431 solicitações dessa natureza. A ação inicia no mês de julho e terá duração variada de 15 a 30 dias em cada local.

Castração

Não serão realizadas castrações de animais nos módulos móveis de consultas clínicas, pois esse atendimento é oferecido somente em duas unidades móveis especializadas e em cinco clínicas cadastradas pela prefeitura. Para ter acesso ao benefício, o interessado deve se inscrever no site da Rede de Proteção Animal.

“A partir de então, a Rede entra em contato para o agendar o dia e local porque há necessidade de o animal comparecer em jejum e preencher outros requisitos antes do procedimento”, explica Marilza. A SMMA fez 15.308 castrações entre os meses de julho de 2017 e maio de 2018.

Calendário do programa

Julho – Regional Tatuquara (Rio Bonito e Caximba)

Agosto – Regional Portão (Parolin e Portelinha)

Setembro – CIC (Vila Verde e Vila Barigui)

Outubro – Matriz (Vila Torres) e Boa Vista (Santa Cândida)

Novembro – Boqueirão (Vila Pantanal) e Cajuru (Vila Audi União)

Dezembro – Bairro Novo (Ganchinho e Osternack)

Conheça as cinco raças de cachorro preferidas pelos brasileiros e saiba como cuidar de cada uma delas