Depois de passar por uma restauração, a escultura do cacique Tindiquera voltou ao Parque Tingui na última semana. A obra faz parte do Patrimônio Histórico de Curitiba e sua recuperação contou com iniciativa da Fundação Cultural (FCC), bem como com o apoio do próprio criador da obra, o artista Elvo Benito Damo.

LEIA TAMBÉM:

Cesta básica fica mais barata em Curitiba, mas café da manhã tá bem mais salgado

> Família de Curitiba sobrevive após enchente e pede ajuda. Faltam até portas e janelas

> Curitiba retoma vacinação nesta quinta e sexta-feira. Saiba quem será imunizado!

A escultura em bronze em tamanho real remete ao índio que teria dado nome à capital paranaense. Diz a lenda que o cacique Tindiquera, líder da tribo Tingui, foi o responsável por indicar aos portugueses o local onde seria instalada a Vila Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, povoado que deu origem a Curitiba. Ele teria dito a frase “Coré Etuba”, que significa muito pinhão ou pinheiral.

Séculos mais tarde, em 1994, a escultura do cacique foi encomendada pelo prefeito Rafael Greca para a inauguração do Parque Tingui. Desde então, Tindiquera passou a guardar uma das entradas do local.

Recentemente, a obra foi removida pela Secretaria do Meio Ambiente e levada ao Ateliê de Escultura do Memorial Paranista, no Parque São Lourenço, para que sua restauração fosse possível. O criador da obra, o artista Elvo Benito Damo, esteve envolvido nos trabalhos. A estátua ganhou novamente seu cajado, que havia sido roubado há mais de 10 anos.

“O restauro de obras como essas é um trabalho delicado. Para restabelecer a originalidade, é importante que seja feito dentro do ateliê, onde temos equipamentos e materiais necessários. Depois elas são devolvidas aos locais de origem completamente recuperadas”, explica Elvo.

A escultura foi encomendada em 1994 para o artista Elvo Benito Damo, que esteve envolvido na recente restauração. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS

Outras restaurações

Além da escultura do cacique Tindiquera, outras obras que também compõem os parques e praças da cidade estão sendo restauradas pela Fundação Cultural de Curitiba no Ateliê de Escultura do Memorial Paranista. Uma delas é a escultura Amor Materno, do artista Zaco Paraná. A peça ornamenta o chafariz central do Jardim Botânico e é um dos principais símbolos do local. Ela voltará renovada para as comemorações de aniversário de 30 anos do Jardim Botânico, em outubro.

Além disso, o molde do busto da poeta curitibana Didi Caillet também está passando por reparos. A peça foi feita a partir do busto original, emprestado pela família de Didi à Prefeitura de Curitiba para recomposição do patrimônio histórico.

Web Stories

Gigante!!

Nova Havan será quatro vezes maior que a loja que será abandonada em Curitiba

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz vai saber dizer!

Malhação Sonhos

Nat impede que Duca enfrente Lobão

Lindas!

Cinco árvores exóticas e raras de Curitiba