Em sessão tranquila, mas com reforço na segurança, a Câmara de Curitiba aprovou em segundo turno nesta terça-feira (19) o pacote de mudanças no funcionalismo municipal proposto pelo prefeito Rafael Greca (DEM).

Entre os pontos aprovados, está  o reajuste de 3,5% aos servidores e regras mais rígidas para que os servidores sejam liberados para atuar em sindicatos. A correção já será aplicada na folha de pagamento do mês de novembro. O impacto será de R$ 142 milhões ao orçamento municipal de 2020.

LEIA MAISOperação contra o tráfico cumpre 29 mandados no Centro histórico de Curitiba

O clima na Câmara de Vereadores nesta terça foi bem diferente de segunda-feira (18), quando manifestantes chegaram a entrar em confronto com a Guarda Municipal.  A Polícia Militar (PM) chegou a reforçar a segurança na votação em primeiro turno.

O líder do prefeito Rafael Greca na Câmara, vereador Pier Petruziello (PTB), comemorou a aprovação do pacote. “A prefeitura está fazendo um enorme esforço para manter os projetos. Se não tivesse a aprovação, o magistério, por exemplo, poderia ter problemas”, argumenta Petruziello.

Já a líder da oposição, Professora Josete (PT), criticou o fato de a casa botar a votação em regime de urgência. “Faltou diálogo entre a Câmara e a prefeitura com os dirigentes sindicais. Infelizmente isto aconteceu”, aponta a vereadora.

Maria Fumaça mais antiga do PR já tem data para iluminar o Natal de Curitiba