A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) aprovou nesta quarta-feira (5) a implementação de um sistema de rodízio de comércio e serviços. A indicação de ato administrativo foi sugerida pela Associação Comercial do Paraná (ACP) e foi defendida pela vereadora Carol Dartora (PT).

LEIA TAMBÉM:

>> Vacinação de pessoas com comorbidades inicia nesta quinta-feira em Curitiba, sem grávidas e puérperas

>> Ligeirinho atinge carro e invade sobrado em Curitiba. Número de feridos sobe pra seis

A ideia é que o sistema de rodízio funcione durante a vigência das bandeiras laranja e amarela em Curitiba. Segundo a vereadora, se adotado, o revezamento de horários de funcionamento do setor econômico pode ser efetivo na diminuição da curva de contágio de coronavírus.

“Infelizmente a pandemia ainda está sem controle. Nós temos 91% dos leitos ocupados em Curitiba e a gente observa que os ônibus continuam rodando acima da capacidade permitida. O TCE-PR [Tribunal de Contas do Estado do Paraná] já fez uma nota pedindo que a prefeitura organizasse melhor, fiscalizasse [o sistema] e que os ônibus só rodassem com 70% da capacidade de lotação”, explicou Dartora.

De acordo com a vereadora, os ônibus continuam lotados e é muito difícil diminuir o contágio considerando a demora nas vacinas e falta de previsão para vacinação em massa”, justificou.

A indicação de ato administrativo será enviada ao Poder Executivo.