A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) se manifestou nesta terça-feira (10) sobre o e-mail em tom racista e violento recebido pelo vereador Renato Freitas (PT), supostamente enviado pelo vereador Sidnei Toaldo (Patriota). Durante a sessão plenária, o presidente da Câmara, Tico Kuzma (Pros), classificou como “inaceitável” e “criminoso” o uso indevido do e-mail institucional do Legislativo para ataques racistas aos vereadores da capital do Paraná.

LEIA TAMBÉM:

>> Conselho de Ética precisa de maioria absoluta pra cassar Renato Freitas

>> Renato Freitas recebe e-mail racista supostamente assinado por vereador, “volta para a senzala”

“Deixo a minha solidariedade ao vereador Renato, ao vereador Herivelto e à vereadora Carol Dartora pelo conteúdo do e-mail. Esta Casa fará de tudo para apurar os fatos e já estamos tomando providências”, garantiu Kuzma.

De acordo com a Câmara, o presidente da Casa informou ter recebido uma manifestação do vereador Renato Freitas denunciando o recebimento do e-mail e outra, de Sidnei Toaldo, negando a autoria da mensagem e prometendo lavrar Boletim de Ocorrência do ocorrido. “A CMC disponibilizará todas as informações necessárias às autoridades para a apuração do ocorrido, com o fim de proteger a segurança de dados de todos os usuários dessa Casa”, afirmou Kuzma.

Também nesta terça-feira, o Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba julga o processo de quebra de decoro parlamentar, que pode levar à cassação do mandato do vereador Renato Freitas. Freitas é acusado de invadir a igreja do Rosário, em 05 de fevereiro, em uma manifestação contra o racismo.

Confira a íntegra da manifestação do presidente da CMC:

A Câmara Municipal de Curitiba, em virtude do comunicado recebido pelo Gabinete da Presidência, formalizado pelo Vereador Renato Freitas, onde consta que o mesmo recebeu e-mail, supostamente enviado pelo Vereador Sidnei Toaldo, com palavras injuriosas e desabonatórias, vem, preliminarmente manifestar a indignação quanto ao teor do manifesto.

Cumpre esclarecer que o Vereador Sidnei Toaldo, também em manifesto dirigido à Presidência, nega com veemência a autoria e o envio do referido e-mail e esclarece que esta formalizando Boletim de Ocorrência para apuração do ocorrido e penalização dos autores.

Finalmente, destaco que bem serão disponibilizadas todas as informações necessárias as autoridades para apuração do ocorrido e com o fim de proteger a segurança de dados de todos os usuários desta Casa.”

Ato de apoio

Apoiadores do vereador Renato Freitas (PT) se reúnem em frente à Câmara Municipal de Curitiba, na Praça Eufrásio Correia, no Centro da capital, contra a cassação do mandato do parlamentar. O ato teve início na manhã desta terça-feira.

Com faixas e cartazes contra o racismo, e também, carro de som, os manifestantes afirmam que a cassação do vereador será “uma injustiça” dentro da Câmara. “Cassar o Renato significa a Câmara descer ao nível mais baixo da sua história”, defendia um dos apoiadores, ao microfone. A manifestação tem transmissões feitas e compartilhadas pelas redes sociais.

Pantanal

Zuleica não aceita morar na fazenda com os filhos

Além da Ilusão

Davi expulsa Iolanda de casa

Novidades da Netflix

Filmes e séries que chegam à Netflix nesta semana

Estreia da semana

5 curiosidades sobre “O Telefone Preto”