Duas câmeras de monitoramento instaladas no bairro Rebouças têm chamado a atenção de quem passa pelo cruzamento das ruas Chile com 24 de Maio, a duas quadras da Unicuritiba. Nos últimos dias, um vídeo viralizou no Whatsapp dizendo que as câmeras seriam para fotografar e multar motoristas dirigindo ao celular, sem cinto de segurança ou com crianças no banco da frente, conforme narra o autor das imagens.

De acordo com a prefeitura de Curitiba, as duas câmeras não são para multar ninguém. Ambas foram instaladas em 2013, junto com outras 144. O objetivo delas é controlar o tráfego e monitorar os horários de pico para administrar o tempo dos semáforos, além de auxiliar no planejamento e execução de atendimentos a acidentes de trânsito.

O nome oficial das câmeras é vídeo-detecção e só podem ser acessadas por agentes da Secretária de Trânsito (Setran), Urbs (empresa municipal que gerencia o transporte público no Centro de Controle Operacional (CCO).

A prefeitura esclarece que as câmeras foram instaladas antes da Copa do Mundo de 2014 em diversos lugares da cidade. Principalmente no Anel Viário, sistema de tráfego que passa por nove bairros: Rebouças, Alto da XV, Alto da Glória, Centro Cívico, Centro, Bom Retiro, Mercês, Batel e Água Verde.

Mais um boato circulando nas redes sociais

Em março, outro boato circulou nas redes sociais e no WhatsApp dizendo que, após passarem por atualização de software, as lombadas eletrônicas passariam a multar motoristas sem cinto de segurança ou falando ao celular. Na época, a Setran explicou que essas informações não procediam. As lombadas eletrônicas continuam multando apenas o excesso de velocidade, ou seja, quem ultrapassar os 40 km/h.