Nada menos que 390 toneladas de alimentos já foram doadas para famílias carentes do Paraná que sofrem com a pandemia do novo coronavírus. A inciativa para esta rede de solidariedade partiu de outras famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que, desde abril, angariam uma grande variedade de alimentos provenientes de famílias de assentamentos do estado.

+Leia mais! Retomada, trincheira entre Bairro Alto e Bacacheri deve ficar pronta em abril

São alimentos como arroz, feijão, leite e derivados, açúcar, além de mandioca, abóbora, frutas, hortaliças e pães artesanais. A ação do MST, inclusive, rendeu um agradecimento feito pelo Papa Francisco.

Uma das ações há quase duas semanas ajudou famílias carentes da Grande Curitiba. Foram duas mil cestas básicas doadas às famílias de Curitiba, Campo Magro e Araucária. Além dos alimentos, eles receberam 400 cargas gás de cozinha por meio de uma parceria com o Sindicato dos Petroleiros, chamada de União Solidária. Apenas as doações desta ação somaram 28 toneladas de alimentos.

+Viu essa? Curitibanas se reinventam para driblar crise na pandemia

“As próprias famílias, de forma espontânea e não planejada, realizam as primeiras doações em municípios próximos de onde estão os acampamentos. As ações foram ganhando volume e atingiram o estado inteiro”, explicou Roberto Baggio, da direção estadual do MST. Segundo ele, as áreas de assentamento são locais rurais mais protegidos, sem aglomeração de indústrias, e com cuidado com a natureza.  No Paraná são ao todo 380 projetos de assentamentos com cerca de 23 mil famílias acampadas.

Quem recebe as doações

Baggio explica que a distribuição das doações é definida de acordo com o contato feito pelo MST com o CRAS (Centro de Referência da Assistência Social), entidades urbanas, padres, pastores, associação de bairros.

“Desta forma conseguimos contemplar famílias carentes e grupos tipo asilos. Há um leque enorme de receptores que são identificados, selecionados e priorizados”, explicou. Os alimentos são entregues às famílias já cadastradas, evitando assim aglomeração e contágio do novo coronavírus. Além dos alimentos, as famílias recebem kits de higiene com máscaras, álcool gel e outros itens de proteção. A próxima ação da campanha acontece em São Matheus do Sul, Bituruna, General Carneiro e Tamarana, no dia 15.

Papa agradece

A iniciativa tomada pelo MST gerou um agradecimento do papa Francisco, líder da igreja católica. Segundo o papa, o apoio mútuo é um dos valores do Movimento e isso reforçou-se por conta da crise do coronavírus. “A partilha produz vida, cria laços e transforma a sociedade. Desejamos que este gesto se multiplique e anime mais pessoas e grupos para fazer o mesmo. Deus ama quem dá com alegria”, disse o papa Francisco na mensagem publicada pelo Vatican News.