Mais afetada pelos fortes temporais registrados no último fim de semana, Campo Largo declarou situação de emergência ontem. Inicialmente avaliado em R$ 3,2 milhões, o valor dos estragos causados a prédios e demais patrimônios da administração municipal chegou a R$ 12 milhões.

Prédios destelhados e danos na frota de veículos do município foram os principais problemas. O valor do prejuízo ainda é estimado e, de acordo com a prefeitura, não leva em conta os prejuízos causados nos imóveis particulares e no comércio da cidade. Isso quer dizer que os números do prejuízo devem aumentar.

De acordo com relatório da Defesa Civil do Paraná, 110 mil pessoas tiveram algum tipo de prejuízo em Campo Largo por causa das chuvas. Ao todo, 3,6 mil casas foram danificadas.

A quantidade de desalojados (que precisam ir a casa de amigos ou conhecidos) na cidade chegou a 100, e de desabrigados (que precisaram procurar abrigos públicos) chegou a 45. Contudo, todos já tinham voltado para as suas residências ontem, segundo a Defesa Civil.

Além de automóveis, instituições de ensino e outros prédios pertencentes à prefeitura, também houve danos no Hospital Nossa Senhora do Rocio. O local deve ficar até o fim desta semana sem receber novos pacientes, uma vez que o teto do prédio desabou e foi necessário fazer uma transferência de
prédio.

Sem aulas

A situação crítica também levou as secretarias municipal e estadual de educação a suspenderem as aulas durante três dias em 14 instituições públicas de ensino. Outras duas escolas tiveram suspensão somente
ontem.

As interrupções que seguem até amanhã ocorrem nas escolas estaduais Domingues Cavalli, São Pedro e São Paulo, Sagrada Família, Darlei Adad, Clotário Portugal e Escola Especial ERCE. Já entre as instituições de ensino municipais, ficarão sem aula as escolas Rosália Remonato, Reino da Loucinha, 7 de Setembro, Madalena Portela, Anchieta, além das em quatro creches e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) Vitor de Almeida Barbosa, Mariinha, Odila Portugal e Ouro
Verde.

Os temporais ainda causam problemas no abastecimento de água e luz da cidade. Em um primeiro comunicado, emitido no sábado, a Sanepar anunciou o retorno do abastecimento de água na cidade. No entanto, novos problemas na rede elétrica do município adiaram a previsão de normalização de abastecimento para a madrugada de hoje.

O Instituto Simepar já alertou o município sobre a possibilidade de novas chuvas com granizo hoje.