Cerca de 2,2 milhões de itens como seringas, agulhas, máscaras de proteção individual, aventais e carteirinhas de vacinação deixaram Curitiba na manhã deste sábado (16), em quatro caminhões, rumo ao interior do Paraná. Os insumos que serão usados na vacinação contra a covid-19, saíram do pátio da central de abastecimento e suprimentos da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), no Jardim Botânico, em Curitiba.

LEIA TAMBÉM – Pavilhão da Cura terá drive-thru e capacidade de vacinar 450 pessoas por hora. Veja!

De acordo com a Sesa, a carga com os equipamentos será entregue neste final de semana nas Regionais de Saúde do Paraná. Das 22 Regionais de Saúde do estado, apenas a Metropolitana Curitiba e a de Paranaguá, receberão os insumos na segunda-feira (18).

LEIA MAIS – Curitiba totaliza 120 mil casos de coronavírus e 8,4 mil seguem ativos com a doença

Os caminhões saíram com escolta da Polícia Militar e segundo a Secretaria de Saúde, terão apoio logístico e de segurança da Defesa Civil durante toda a operação de deslocamento e descarregamento da carga.

“Equipes da Sesp (Secretaria Estadual de Segurança Pública) darão todo o suporte a esta operação de entrega para garantir que o material chegue às regionais; para isso contaremos com o apoio das Polícias Militar e Civil e também da Defesa Civil”, explicou o secretário de Estado de Segurança Pública, Rômulo Marinho Soares.

Agulhas e seringas

O Paraná conta com um estoque de 11 milhões de seringas e agulhas e outras 16 milhões estão em fase final de aquisição, de acordo com informações da Sesa. O material deve garantir as duas doses de vacinação para os paranaenses.

LEIA TAMBÉM– Se não houver explosão de casos, oxigênio será suficiente no Paraná, alerta entidade

Todos os itens que serão utilizados na vacinação são armazenados no central de abastecimento e suprimento da Sesa e no Ginásio do Tarumã, cedido pela Paraná Esportes, para esta finalidade. A Central também armazenará as doses das vacinas assim que chegarem ao Paraná.

“Temos capacidade de aplicar a primeira dose em toda a população da primeira fase da vacinação do Paraná no mesmo dia; a logística planejada pelas equipes e profissionais da Sesa garante que o paranaense possa receber a vacina rapidamente e perto da sua casa, sempre na unidade básica de saúde, nas salas de vacinação, local de referência histórica para a população”, disse secretário de Saúde, Beto Preto.

“Sem falsas expectativas”

Na sexta-feira (15), Beto Preto, afirmou, no entanto, que a vacinação contra a covid-19 pode não iniciar no dia 20 de janeiro. A declaração foi feita pelo secretário de saúde durante o carregamento da carga de seringas e equipamentos, no Jardim Botânico, em Curitiba.

“Com a intercorrência com os casos na Índia, pode ser que atrase. Não podemos criar uma falsa expectativa. Mas acredito que em torno do dia 20, 21, 23, teremos vacina”, explicou Beto Preto, aos jornalistas.