A empresa Planeta Brasil, responsável pela organização do Carnavibe, evento marcado para este sábado (19), em Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba, conseguiu alvará para a realização do evento. A ameaça de não realização da festa partiu da Delegação Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe), que afirmou nesta semana que não daria sua autorização.

“A Polícia Civil não vai dar a liberação para a festa. Se fizerem, vai ser clandestina e a responsabilidade vai ser do prefeito”, assim desabafou o delegado Luiz Carlos de Oliveira. Num papo com a Tribuna do Paraná, o delegado disse que o evento contrapõe a Lei Complementar do município que prevê sobre o Código de Postura no artigo 49, § 6º, em que fica proibida a concessão de autorização para a realização de eventos com músicas eletrônicas ou ao vivo, de longa duração, conhecidos como festas “raves”, em toda extensão deste município.

+ Leia mais: Vereador Renato Freitas pede afastamento e equipe relata recebimento de ameaças de morte

Acontece que a empresa enviou todos os documentos e deu à Prefeitura as garantias pedidas para a realização da festa. Por este motivo, na tarde desta sexta, conseguiu o alvará. A negativa da Demafe, no entanto, não impede a realização do evento. A decisão do delegado é de não enviar policiamento ao local para apoiar a segurança dos frequentadores.

“A Demafe não dará o alvará para esse tipo de festa. Existe um decreto do prefeito que libera, mas tem a lei que impede isso. A lei é maior que o decreto. Nossa posição é contrária, e enviamos um ofício ao Ministério Público para que se manifeste a respeito da festa. Ficamos sabendo que vai ocorrer depois do show, uma pós-rave. A empresa fez a estrutura para o show, teve uma pessoa que morreu eletrocutada e quem garante que não vai ocorrer um novo problema por lá? Fora a questão da covid-19. A maior fundamentação legal é a proibição pela lei do município. Reforço, a Polícia Civil não dará alvará”, disse o experiente delegado.

Festa Clandestina?

Com o terceiro lote de ingressos à venda, a expectativa da presença de público no local é imensa. O CarnaVibe é considerado o maior do Brasil no estilo carnaval eletrônico e chegou a reunir 100 mil pessoas em Curitiba em anos anteriores. Essa seria a 5ª edição do evento.

Sem liberar o alvará por parte da Demafe, o delegado relatou que não vai ter policiais no evento, e que a festa pode ser tratada como clandestina, pois não se tem a liberação por parte de todos os órgãos competentes.

+ Veja também: Digitais podem solucionar morte misteriosa de lutadora de Curitiba; Corpo estava no porta-malas

“Nesse caso vira uma festa clandestina e a prefeitura vai responder criminalmente e administrativamente no futuro. Querem liberação do Bombeiro para uma fazenda? Estão de brincadeira. A Guarda Municipal também não vai estar presente e tudo que ocorrer lá é responsabilidade do prefeito. Por que não pegam a documentação primeiro para depois começar a fazer estrutura? O decreto não está acima da lei, se realizarem a festa, será clandestina”, reforçou Luiz Carlos de Oliveira.

Empresa na bronca!

Em nota, a organização do Carnavibe se mostrou surpresa quanto à possibilidade de não ter o evento e fez uma comparação ao clássico Atletiba que foi realizado na quarta-feira (16) com mais de 25 mil pessoas. Veja na íntegra:

“A organização do CARNAVIBE, um dos principais eventos multiculturais do país, que vai reunir dezenas de artistas, DJs e bandas, ficou surpresa ao tomar conhecimento através de um veículo de comunicação, nesta quinta-feira (17), que o alvará para a nossa quinta edição, que vai acontecer neste sábado (19), na cidade de Campina Grande do Sul (PR), seria negado.

+ Veja mais: Enxame de abelhas ataca equipe que fazia a roçada em calçada de bairro em Curitiba

Como cumpridores de toda as leis, nos sentimos de certa forma desrespeitados. Nosso segmento, o mais afetado economicamente pela pandemia, precisa ser tratado com profissionalismo por todos, tanto pelas empresas envolvidas nas atividades do setor, quanto os órgãos responsáveis por sua regulamentação e fiscalização. É importante destacar que para tornarmos possível um evento dessa magnitude, empregamos diretamente cerca de 1.500 profissionais entre montagem, realização do evento e desmontagem, sem contar com a geração de impostos, renda e emprego ao município e região. São mais de seis meses de muito trabalho para construir do zero uma estrutura inédita, em uma área de mais de 100 mil metros quadrados, equivalente a mais de 12 campos de futebol como o utilizado para o último clássico ATLETIBA, realizado na noite da última quarta-feira (16), que contou com mais de 25 mil pessoas no estádio. O CARNAVIBE 2022 seguiu todos os trâmites legais de liberação desde seu primeiro passo, resultando na autorização expedida pelo poder público municipal na tarde dessa quinta-feira. Além disso, o nosso público deverá comprovar vacinação completa ou apresentar RT-PCR com resultado negativo emitido até 72h antes do evento. Importante destacar que estamos seguindo da melhor forma as leis estabelecidas nesse momento.

 Aproveitamos para pedir desculpas ao nosso público fiel que adquiriu antecipadamente os ingressos para o evento e se programou de maneira civilizada, inclusive com pessoas vindo de outras cidades do Brasil para curtir um dia inesquecível projetado por nós, e foi surpreendido por informações publicadas antes da conclusão do processo de liberação pelas autoridades competentes.

Tomaremos todas as medidas que estiverem ao nosso alcance para a realização do CARNAVIBE 2022 neste sábado, e garantimos que iremos proporcionar aos nossos consumidores mais uma experiência incrível. Tenha certeza disso”, diz a nota da organização.

E aí, prefeitura?

A Tribuna do Paraná procurou a prefeitura de Campina Grande do Sul que reforçou a ideia de que a documentação exigida para a empresa responsável pelo evento é fundamental para a realização da festa. Alexandre Zolet, secretário de Comunicação da gestão atual do prefeito Bihl Zanetti (PSD), relatou que se não existe problema para a realização do evento caso toda as exigências sejam cumpridas.

A Prefeitura confirmou para a reportagem que os documentos foram enviados e o alvará concedido.

Alvará Carnavibe 2022