Um carro ocupado por seis pessoas capotou depois de bater em uma árvore e caiu no lago da Usina Hidrelétrica Santa Cruz, em Rio Branco do Sul, na noite de sábado (6). Duas vítimas morreram no acidente. Mesmo depois de o Palio ter sido retirado da água, no começo da tarde deste domingo, muita gente ainda estava no local para saber o que tinha acontecido.

Ainda não se sabe o motivo pelo qual o motorista do Palio, com placas de Itaperuçu, perdeu o controle do carro e caiu no lago, em uma área de aproximadamente 8 metros de profundidade. Um homem, de 42 anos, que estava no banco do passageiro, morreu na hora. Uma adolescente de 14 anos, identificada como Viviane, também não resistiu aos ferimentos, mas só foi retirada da água perto das 11h, depois de buscas feitas pelo Grupo de Operações de Socorro Tático (Gost) do Corpo de Bombeiros.

Michele Damasceno Gonçalves disse que estava em um bailão próximo à hidrelétrica, por volta das 23h, quando soube que tinha acontecido um acidente. “Disseram que tinha um carro capotado e muita gente morta”.

Segundo comentários no local, os ocupantes do carro passaram o dia bebendo em um bar de Itaperuçu e “saíram sem rumo”. “Tinham três fora do carro, todos molhados. Uma das sobreviventes disse que nem sabia onde eles estavam”, relatou Michele. Ela voltou ao local na manhã de domingo, porque “ontem não dava pra enxergar nada, estava tudo escuro”.

Três pessoas que estavam no veículo conseguiram sair e foram socorridas por familiares. Foto: Jornal Rio Branco Notícias/Colaboração
Três pessoas que estavam no veículo conseguiram sair e foram socorridas por familiares. Foto: Jornal Rio Branco Notícias/Colaboração

Motorista fugitivo

O agente Bonfim, da Defesa Civil de Rio Branco do Sul, disse que as três vítimas que sobreviveram ao acidente e estavam no local tiveram apenas ferimentos leves. O que aconteceu com o motorista ainda é um mistério. “Segundo informações de populares, eles viram um senhor andando em via pública. Ele saiu do veículo e foi pedir ajuda na direção contrária e estaria com uma arma em punho”.

“O que também nos foi informado é que eles estavam em alta velocidade”, afirmou Bonfim. No carro foram encontradas várias garrafas de bebidas alcoólicas.

Outro fator de risco apontado por Bonfim era a quantidade de pessoas no Palio. “O impacto não foi tão profundo porque eles bateram na água. As lesões maiores que ás vítimas sofreram foi na tentativa de sair de dentro do veículo, por estar em uma quantidade maior de pessoas do que o permitido”, explicou.