Aniversário é para ser comemorado e não pode passar em branco. Desde criança, ouvimos dos mais experientes essas frases e realmente é pura verdade. No entanto, em tempos de pandemia, fazer festa com vários convidados virou motivo de preocupação de autoridades. As comemorações chamaram atenção da secretária de saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, que chegou a dar bronca na população em uma de suas lives. Uma pessoa infectada com o novo coronavírus pode transmitir a doença e em alguns casos, levar o vírus para alguém do grupo de risco.

LEIA TAMBÉM – Com “assinaturas” de Anitta, Bolsonaro, Lula, Jesus, Superman e outros famosos, piá de Curitiba pede cãozinho para a mãe

Para manter a tradição, famílias estão utilizando outros recursos nem que seja para dar o parabéns à distância. Naturalmente, a tecnologia ajuda, mas tem empresas que estão faturando uma boa grana com as mensagens por carro de som. Microfone ligado e emoção na voz de locutores, que emocionam os homenageados.

Lizandra Souza e o marido Roger Nervis são proprietários da Lizi Telemensagens. A empresa já está há oito anos no mercado e com a pandemia, os pedidos dobraram. “O carro do som com as mensagens é algo antigo e os idosos gostam muito. Com o isolamento, os filhos retornaram com a ideia e estamos indo muito bem. Antes do coronavírus, fazíamos em média 80 por mês. Em maio chegamos a 150 mensagens e em junho vai ser semelhante. Importante ressaltar que a gente não tem contato com ninguém. O pagamento é por transferência bancária, o microfone só a equipe utiliza com os nossos locutores (Ronaldo Rosa e Brito Sobrinho) e o carro fica distante das pessoas. Fizemos até festa junina e foi bem bacana”, comentou Lizandra. O serviço custa a partir de R$150.

A mensagem no carro de som foi aprovada pela família Iurki, de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Em meio a proibição de uma festa maior e com mais convidados, a mãe Célia decidiu homenagear o filho Maurício, que completou 34 anos no dia 15 de junho. “Influenciou bastante a questão da pandemia para eu decidir fazer algo e até para não passar em branco. As pessoas acham que é brega, que mensagem ao vivo é um mico, que todo mundo vai correr, mas no fim é um linda demonstração de amor. Hoje em dia, demonstrar carinho de forma pública e tão raro, que quando acontece, todos se surpreendem. Adoramos e ficamos bem emocionados”, ressaltou Célia Iurki.

Outra família que apostou na mensagem reside no bairro Campo Comprido, em Curitiba. Acostumados a reunir amigos nos aniversários da filha Nicole, a mãe Giovana Martins de Oliveira Guimarães, de 37 anos, procurou o serviço da Lizi Telemensagens. “Sempre comemoramos o aniversário e ela tem uma turma bem grande. As amigas ficaram na frente do condomínio e quando começou a homenagem foi emocionante. Todos choraram e foi especial”, afirmou a mãe da jovem Nicole, que completou 13 anos de vida.

Na bronca!

Se tem família preocupada com o avanço de casos confirmados de coronavírus, infelizmente isto não é acontece em todos os lares. O alerta das festinhas em casa foi dado pela secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak. Ela revelou que uma idosa de 93 anos morreu após ter a visita de familiares em um momento de celebração de aniversário.

“É muito preocupante, pois o contagio é muito rápido. Alertamos de novo e evitem o contato. Vi fotos de pessoas confraternizando. Perde todo o sentido de isolamento, pois uma pessoa sem sintomas leva o vírus para dentro de casa”, desabafou a secretária.