Em seu aniversário de 30 anos, o Jardim Botânico volta a receber os visitantes em uma de suas atrações mais queridas. O Jardim das Sensações, que ficou fechado durante as piores fases da pandemia da covid-19, reabre ao público nesta terça-feira (05), caso não chova.

Entre as novidades comemorativas, estão, ainda, o retorno da escultura Amor Materno restaurada e um canteiro com a inscrição de 30 anos em flores.

LEIA TAMBÉM:

>> Curitiba precisa de pelo menos quatro fins de semana chuvosos para aliviar crise

>> Park Shopping Boulevard, que terá 230 lojas, tem data para inauguração em Curitiba

“Planejamos a reabertura como um presente aos curitibanos, levando em consideração a queda dos números da pandemia”, explica o diretor de Produção Vegetal, José Roberto Roloff, responsável pela gestão do local. Como o Jardim das Sensações não abre em dias de chuva, é preciso contar com a colaboração do tempo. “Mas já estamos aqui na torcida”, completa.

Como a pandemia ainda não acabou, todos os cuidados devem ser tomados. Os visitantes devem manter o distanciamento e o uso de álcool em gel durante o percurso. 

Sentidos

O Jardim das Sensações foi criado em 2008 com a intenção de fazer a integração e a inclusão do visitante com a natureza por meio dos sentidos. O passeio sensorial percorre um caminho de 200 metros com plantas nativas, aromáticas e medicinais.

As plantas são identificadas também em braile e os monitores ficam à disposição para o esclarecimento de dúvidas e explicações mais detalhadas. Fazem parte do cenário, ainda, canteiros e uma cachoeira, além de uma instalação do programa Jardins de Mel com abelhas mirins, sem ferrão.  

Entregas especiais

Um canteiro comemorativo, com o número 30 e a silhueta da estufa, também marca o aniversário. São cerca de mil mudas de begônias formando o desenho.

Os visitantes poderão ver, também, a escultura Amor Materno, de Zaco Paraná, totalmente restaurada. O trabalho, feito em conjunto com a Fundação Cultural de Curitiba, foi realizado especialmente para o aniversário. 

De acordo com o escultor Elvo Benito Damo, responsável pelo restauro, trata-se de um processo de lavagem da peça, seguida de uma renovação da pátina. “A ação do tempo fez com que a peça ficasse com uma diferença de tonalidades, o que é corrigido com a aplicação de nova pátina à base de pigmentação e cera”, explica Elvo. Ainda segundo ele, foram corrigidas pequenas falhas que aconteceram na fundição. 

Amor Materno foi instalada no Jardim Botânico em 1993, em comemoração aos 300 anos de Curitiba. A obra original é de 1907 e encontra-se no Rio de Janeiro. O autor, João Zaco Paraná, foi um dos grandes nomes da arte escultórica paranaense, ao lado de João Turin e Erbo Stenzel.

Recentemente, o Jardim Botânico ganhou, ainda, um café-escola do Senac, na também nova Galeria das Quatro Estações. E, uma limpeza total na estufa, que continua fechada por mais um tempo por conta da pandemia.  

Jardim Botânico

Inaugurada em 1991, a unidade de conservação é uma área protegida e que abriga, além de um bosque com nascentes, coleções de plantas vivas para estudo e pesquisa. A cada ano mais de um milhão de pessoas passam pelo Jardim Botânico, que é o maior ponto de desembarques dos ônibus da Linha Turismo. A pista de caminhada que circula o bosque nativo é também uma opção para os curitibanos que buscam um estilo de vida mais equilibrado e saudável.

Os 178 mil metros quadrados de área do Jardim Botânico Francisca Maria Garfunkel Rischbieter, seu nome oficial, abrigam ainda o Museu Botânico, um auditório e o quarto maior herbário do Brasil, que atrai pesquisadores de todo o mundo com as mais de 400 mil exsicatas (amostras de plantas prensadas para estudo).

Web Stories

Descubra!

Intrigantes e bizarras! Mais cinco histórias curiosas sobre Curitiba

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz sabe!

Novidade!

Loja da Xiaomi em Curitiba: conheça cinco produtos inusitados

Pra curtir!

Novas atrações turísticas de Curitiba! Partiu conhecer?