A região dos bairros Centro, Rebouças, Batel, Água Verde tem obras de substituição de redes de distribuição de água a partir desta segunda-feira (31). Serão trocados 5,2 quilômetros de rede de ferro antiga por tubulação de polietileno de alta densidade (PEAD) em nove quadras, entre a Avenida Sete de Setembro, a Avenida Silva Jardim, a Rua Cel. Dulcídio e a Rua Desembargador Westphalen

Os trabalhos, que devem ser concluídos em novembro, fazem parte do novo contrato do município com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). E atendem, ainda, às metas do Plano Municipal de Saneamento Básico, que preveem, também, a revitalização do sistema de abastecimento de água na Região Central, que tem tubulação de ferro fundida bastante antiga, de cerca de 25 anos.

+ Veja também: Alvo de reclamações dos curitibanos, prefeitura descarta propagação da covid-19 pelo transporte coletivo

“Esse tipo de intervenção é vital para mantermos o nosso título de capital com o melhor saneamento básico do país, oferecendo cobertura de redes de água e esgoto de qualidade para a população”, avalia a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias. 

Para o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, a obra moderniza a estrutura de água e consolida a política de inovação da empresa. “São equipamentos mais modernos que garantem maior qualidade e eficiência ao sistema de abastecimento”, diz. 

Obras

De acordo com a Sanepar, o novo material tem maior vida útil (superior a 50 anos), é mais resistente a impactos e, portanto, está menos suscetível a rompimentos. O PEAD também não é corrosível e tem baixíssimo efeito de incrustação. 

Outra vantagem em relação a outros materiais é a facilidade de montagem e manutenção. Nesses trechos a serem substituídos, serão utilizadas tubulações de dimensões nominais variadas de 75, 100 e 150 milímetros.

+ Leia mais: Bandeira vermelha entra em vigor em Curitiba após colapso na saúde. Veja como vai ser!

A execução da obra será por meio de duas metodologias. A tradicional, que consiste na escavação manual ou mecânica com equipamentos de pequeno porte (miniescavadeiras), é utilizada no passeio e será adotada em função de diversas interferências existentes, como rede coletora de esgoto, telefonia, energia elétrica, gás. Nas travessias de vias públicas, será utilizada a metodologia não destrutiva para evitar a interrupção de trânsito e a recomposição asfáltica.

A Sanepar conta com a compreensão de moradores e comerciantes das vias afetadas em relação aos transtornos causados pelos serviços.