A terceira semana de maio vai ter chuva, mas ainda insuficiente para amenizar a maior estiagem dos últimos 23 anos que Curitiba e região metropolitana atravessam.

Segundo Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), a chuva chega sexta-feira (23), com a previsão de que caiam apenas 22 milímetros (mm) de água, o que equivale a 22 litros de água por metro quadrado. A média de maio é de 6.4 mm, mas mesmo com uma chuva acima do normal, os reservatórios de água não irão subir muito. Para ocorrer uma melhora significativa, seria preciso cerca de 200 mm de precipitação.

+Viu essa? Curitiba é a cidade do Paraná que teve menos chuvas nos últimos meses

Uma das consequências da estiagem é refletida nas torneiras das pessoas com rodízios realizados pela Sanepar, empresa responsável pelo abastecimento de água no estado. O atual ocorre até pelo menos quarta-feira (20). Desde o dia 17 de março, municípios como Pinhais, São José dos Pinhais, Pinhais, Fazenda Rio Grande e alguns bairros de Curitiba, as pessoas estão enfrentando problemas em um período essencial para a lavagem das mãos, evitando a propagação do novo coronavírus. Por isso passa a ser ainda mais importante a economia de água, para que Curitiba e região não passem do rodízio para o racionamento de água.

Frio – para o fim de semana, o frio vai ser intenso em Curitiba e no interior do Estado, com possibilidade de geada. Para o sábado (23), a mínima pode bater 4 graus e no domingo (24), chance de geada com 2 graus no começo do dia.

No litoral, o clima vai ser bem semelhante ao da capital, mas o frio não será tão pesado assim – no fim de semana, a previsão de mínima é de 11 graus. No interior, o frio também se fará presente e pode até gear em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná. Previsão para 4 graus no domingo na terra das Cataratas.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?