O domingo (20) vai seguir com o céu nublado ao longo do dia, mas sem possibilidade de chuva em Curitiba e no litoral. A área de instabilidade que resultou em um sábado (19) chuvoso se afastou para o oceano fazendo com que o tempo volte a ficar mais estável. No entanto, a segunda-feira (21) vai ter uso do guarda-chuva na capital, dando boas-vindas ao inverno que inicia oficialmente às 0h32 e termina às 16h21 do dia 22 de setembro.

De acordo com Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), este domingo em Curitiba iniciou com a mínima de 11°graus e tempo nublado. Em alguns bairros, o sol até quis mostrar a cara, mas logo perdeu espaço para algumas nuvens mais escuras. A máxima prevista não deve passar dos 15°graus.

A dica da Tribuna do Paraná para esquentar é o bom e velho quentão de guerra. São cinco dicas, inclusive com gemada que dá aquela força para aguentar a friaca.

Já na segunda-feira, a chuva retorna para a capital. Segundo o Simepar, o tempo amanhece nublado e no período da tarde, a chuva já pinta por aqui. A tendência é não ser intensa, mas com uma boa continuidade até o começo da noite.

E o inverno?

Para este inverno são esperadas ondas de ar frio e seco. Também serão frequentes, episódios de frio intenso por vários dias consecutivos, incluindo a formação de geada. Podem ocorrer ainda alguns veranicos – períodos de tempo seco e quente, mais frequentes a partir da segunda quinzena de agosto.

Já a temperatura média deve seguir o padrão típico da estação, exceto nos extremos Oeste e Norte, com picos mais quentes: “Na fronteira com o Paraguai e nas divisas com Mato Grosso do Sul e São Paulo as temperaturas devem variar de próximas a ligeiramente acima do normal climatológica”, afirma o meteorologista do Simepar, Reinaldo Kneib.

Chuva para ajudar na crise hídrica

A perspectiva não é muito positiva. Sem uma influência ativa dos fenômenos El Niño e La Niña, julho e agosto devem ser mais secos em todo o Paraná. A partir da segunda quinzena de setembro, começam as alterações no regime de chuvas típico de inverno, com o desenvolvimento de áreas de instabilidade causado pelo aquecimento mais acentuado da atmosfera entre o Centro-Oeste brasileiro e o Paraguai.

O Paraná atravessa um cenário de emergência hídrica e rodízios de abastecimento. Em Curitiba e nas cidades de região metropolitana, o rodízio está acontecendo desde março de 2020.