As chuvas registradas em Curitiba nesta terça-feira (6) foram realmente intensas. Segundo o Instituto Simepar, o volume contabilizado na capital, entre a 1h da madrugada e as 21 horas, foi de 120,4 milímetros, o maior volume de chuva diária na história da cidade. A média de chuva para todo o mês de junho é de 115 milímetros.

Essa precipitação excessiva provocou uma série de transtornos, em especial durante a tarde, como buracos no asfalto e alagamentos em ruas, escolas e creches e até no terminal de ônibus do Boqueirão. Também houve queda de árvores – sendo que em uma dessas situações, três carros foram atingidos.

Na manhã desta quarta-feira, quatro unidades escolares permanecem fechadas para limpeza após problemas com a chuva.

Tempo segue instável nesta quarta

As chuvas, que ocorrem em pancadas a qualquer hora do dia ou da noite desta quarta-feira, são resultado do deslocamento de um sistema frontal pelo estado, associado às áreas de instabilidade vindas do Paraguai e do Mato Grosso do Sul. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), praticamente toda a metade sul do estado está numa região de alerta, onde há risco de ventos intensos, corte de energia elétrica e queima de eletrônicos, queda de galhos de árvores, alagamentos e incidência de descargas elétricas.

Nesta quarta-feira, as temperaturas também devem se manter semelhantes às registradas no início da semana. A mínima deve ficar em torno de 14°C ou 15°C, enquanto a máxima deve chegar a 21°C. “Essa semana continua com temperaturas agradáveis, porém com chuva”, resume o meteorologista.

De acordo com o meteorologista do Simepar Paulo Barbieri, as chuvas podem vir acompanhadas de ventos e descargas elétricas. Conforme ele, o fluxo de umidade que entra pelo oeste do estado deve continuar provocando chuvas em todo o Paraná até a manhã de quinta-feira. À tarde, deve haver uma “trégua”, mas uma nova frente fria deve se aproximar do estado à noite, provocando novas chuvas na sexta-feira.