À frente da Secretaria da Saúde no Paraná, Beto Preto demonstrou preocupação com a cepa B.1.617, conhecida como variante indiana. Ele afirmou que a pandemia do coronavírus “nos deixa perplexos todos os dias” e que “agora vem aí a variante indiana”. “Ainda não está circulando com força no Paraná, mas vai estar. A P.1, a variante amazônica, entre fevereiro e março, tinha 25% da prevalência aqui no Paraná. Hoje tem 80%. E é difícil controlar depois que está em transmissão comunitária”, disse ele.

>> Curitiba segue com vacinação neste sábado para cinco grupos prioritários; veja lista

O Paraná já confirmou seu primeiro caso de infecção pela variante indiana, no início deste mês, mas o alcance do problema segue desconhecido. “Vamos aguardar. Pedimos uma avaliação do sequenciamento genômico das amostras de todas as pessoas que conviveram com esta senhora”, afirmou ele, em referência à moradora de Apucarana que foi infectada pela nova cepa. O resultado deve sair daqui uma semana, de acordo com ele.

Questionado sobre medidas adotadas pelo governo estadual, o secretário disse que “a gente está tentando descobrir o caminho que ela pode fazer, como ela está se instalando, mas nossas rodoviárias todos os dias tem trânsito de pessoas, nossos aeroportos também”. “É um momento muito difícil”, resumiu ele.

+Leia mais! Paraná anuncia vacinação para público geral acima de 40 anos para a próxima semana