O Instituto Cola-Cola Brasil, em parceria com a Coca-Cola FEMSA Brasil, abriu inscrições para o “Coletivo Online”, programa de empregabilidade 100% digital. O objetivo do projeto é conectar jovens de 16 a 25 anos, moradores de Curitiba e da região metropolitana em situação de vulnerabilidade social, para o mercado de trabalho por meio de uma rede de mais de 400 parceiros empregadores.

LEIA TAMBÉM:

>> Vinte e três colégios estaduais retomam atividades presenciais na Grande Curitiba

>> Starbucks chega a Curitiba, confira as curiosidades da marca

Para participar, é preciso ter entre 16 e 25 anos e ter concluído o ensino médio ou estar cursando e possuir um número de WhatsApp — o curso é 100% online e será realizado pelo aplicativo. Os interessados devem se cadastrar até o dia 21 de junho por meio do link: http://bit.ly/coletivafemsa

O conteúdo do Coletivo Online é focado em temas do mundo do trabalho, elaboração de um plano de vida, planejamento financeiro, construção de currículo e como se preparar para entrevistas e processos seletivos. Quem assistir às videoaulas e fizer as atividades práticas recebe um certificado de conclusão e, ao final do curso, os participantes são convidados a se cadastrarem nas comunidades de vagas do programa, podendo se candidatar aos processos seletivos de uma rede de parceiros empregadores.

Atuação que gera impacto

A iniciativa faz parte da plataforma Coletivo, que conta também com o bem-sucedido programa Coletivo Jovem que já beneficiou cerca de 88 mil jovens nas regiões que a Coca-Cola FEMSA Brasil atua. Desde o início de sua implementação, em 2009, a plataforma Coletivo já impactou mais de 256 mil jovens em comunidades brasileiras espalhadas em 22 estados mais o Distrito Federal — incluindo as suas duas versões: o Coletivo Jovem, com aulas presenciais, e o Coletivo Online, com turmas 100% digitais. Desses, mais de 77 mil tiveram acesso ao mercado de trabalho. 

Apenas em 2020, 7.500 se formaram nas aulas dos programas presencial e online, sendo 68% negros e 70% mulheres. Os resultados mostram que, até seis meses após a conclusão do curso, 53% dos jovens formados conseguiram se inserir no mercado de trabalho, antes da pandemia, e 41% durante a pandemia. No caso do Coletivo Online, 91% dos jovens acreditam que o curso contribuiu para o desenvolvimento pessoal e a taxa de empregabilidade deste programa será aferida ainda este ano.