O Colégio Estadual do Paraná (CEP) vai passar por obras de restauro e por reformas em 2019. Segundo informações do Governo do estado, serão feitos os restauros de portas, janelas, telhado e piso, pintura, as reformas dos banheiros, das instalações hidráulica e elétrica, a modernização de elevadores, o aprimoramento da acessibilidade além de recuperar o paisagismo do colégio. O investimento previsto é de quase R$ 17 milhões e não há previsão para o fim das obras.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Desde que foi aberto, em 1950, esta será a primeira grande reforma no prédio. As obras foram anunciadas dias antes da data marcada para a volta às aulas, nesta quinta-feira (14), mas não vão atrapalhar o andamento normal das atividades acadêmicas, conforme confirmou a diretora do colégio, Tânia Acco. “Todos os alunos já estão com suas turmas definidas. A direção do Colégio fez um grande esforço e na medida do possível procurou realocar os estudantes nas escolas mais próximas às suas residências e garantir toda a estrutura necessária”, explicou.

Para não atrapalhar as aulas, parte dos estudantes será recolocada em outras quatro escolas da região central da cidade. No entanto, os mesmos professores que atuam no Estadual seguirão ministrando as aulas e o acompanhamento pedagógico e administrativo também será feito pela equipe da escola.

De acordo com as informações do governo, as turmas serão divididas entre o Colégio Estadual Amâncio Moro (20 turmas), Colégio Estadual Tiradentes (28 turmas), Colégio Estadual Conselheiro Zacarias (11 turmas) e Instituto de Educação do Paraná Erasmo Pilotto (32 turmas). Além disso, 64 turmas continuarão tendo aulas normalmente no CEP.

‘Chuvarada’ e ventos fortes causam alagamento e queda de árvores em bairros de Curitiba