O Colégio Militar de Curitiba, administrado pelo Exército no bairro Tarumã, será a primeira escola do Paraná a voltar às aulas presenciais na pandemia de coronavírus. O retorno será na próxima segunda-feira (21). De acordo com o comunicado assinado pelo comandante e diretor de ensino da instituição, coronel Guilherme Azambuja Carrilho do Rego Barros, o reinício das atividades ocorrerá de forma “gradual, escalonada e em totais condições de segurança sanitárias para o corpo discente, docente e permanente”.

Sobre o retorno adiantado do Colégio Militar em relação às outras escolas do estado, a Secretaria Estadual de Educação (Seed) explica que o decreto estadual que restringe às aulas durante a pandemia valem apenas para as redes estadual e municipais de ensino, além da rede privada e das universidades estaduais. O Colégio Militar é administrado pelo Exército, portanto, vinculado ao governo federal, ao Ministério da Defesa, mais especificamente.

VIU ESSA? – Governador Ratinho Jr encaminha projeto para criar 200 colégios militares no Paraná

No primeiro dia, voltam ao colégio os alunos do ensino médio, que terão aulas às segundas, quartas e sextas-feiras. No dia seguinte, começam as atividades presenciais com os estudantes do 8.º e 9.º anos do ensino fundamental, que terão aulas às terças e quintas. Os demais alunos retornam às aulas na semana seguinte, também com aulas a cada dois dias.

Segundo o comunicado enviado às famílias dos alunos, as turmas serão redistribuídas de modo a aumentar o distanciamento entre os estudantes dentro das salas de aula. A cantina ficará fechada, sem previsão de reabertura, mas o fornecimento de merenda nos intervalos será mantido.

Medidas sanitárias

A entrada no colégio será feita exclusivamente pelo portão principal e as catracas serão desativadas. Os alunos deverão manter distância de dois metros entre si e passar por uma triagem, no pátio de formatura, antes de irem às salas de aula. Caso apresentem temperatura corporal acima de 37,5°C, tosse, coriza e/ou congestão nasal, não poderão permanecer na instituição. Os que permanecerem serão encaminhados a fazer a desinfecção dos calçados.

VEJA MAIS – Porto de Paranaguá recebe 30 tanques de guerra vindos dos Estados Unidos

Além disso, será obrigatório o uso de máscara respiratória, que deverá ser trocada a cada três horas. Os alunos receberão um kit com dois equipamentos, além de um frasco de álcool gel. O contato físico entre alunos, professores e demais agentes está “terminantemente proibido”, conforme o comunicado.

Redes estadual e municipal

Na rede municipal de ensino de Curitiba, as aulas estão suspensas desde 23 de março e ao menos até o próximo dia 30, conforme decreto publicado no fim de agosto.

Na rede estadual, professores e funcionários decidiram que não retornarão às aulas presenciais mesmo que o governo retome as atividades. Em assembleia promovida pela APP-Sindicato, que representa a categoria, os servidores aprovaram greve em caso de chamada para reinício das aulas em sala.