Ninguém está imune aos golpes (ou às tentativas) pela internet. Nesta quinta-feira (10), o comentarista da RPC e colunista da Tribuna do Paraná Cristian Toledo e sua mãe escaparam de um belo prejuízo após um golpista tentar ludibriá-los via WhatsApp, um dos meios mais utilizados pelos picaretas para tentar levar vantagem.

A mãe do comentarista recebeu uma mensagem de um número desconhecido, mas com a foto e o nome de Cristian Toledo. O salafrário puxou papo perguntando se a mãe estava bem e dizendo que precisava de aproximadamente R$ 4,2 mil para pagar um boleto. O azar do sem vergonha é que Cristian estava ao lado de sua mãe quando as mensagens começaram a chegar.

+ Veja também: Isolamento, toque de recolher e proibição de bebidas diminuem acidentes e liberam leitos covid no PR

Após alguma conversa, o bandido percebeu que tinha sido desmascarado e ainda mandou um: “Parabéns!”, trocando a foto em seguida e bloqueando o número, mostrando toda a cara de pau. O número utilizado pelo picareta foi o (41) 9 92853187. Se este número de procurar, DENUNCIE!

O colunista explicou que registrou um boletim de ocorrência (veja como fazer no final deste texto) pela internet mesmo. E mandou o recardo. “Cuidado com as conversas no WhatsApp. O risco de ser enganado é enorme. Nós demos sorte de estar em casa e perceber de primeira o golpe”, disso Cristian.

Como evitar?

Apesar de ser um golpe comum e que traz uma série de prejuízos, é possível evitar. A primeira dica é ativar a autenticação de dois fatores no WhatsApp. Para isso, é preciso ir em Configurações > Conta > Confirmação em duas etapas para habilitar uma senha de segurança. A confirmação em duas etapas já diminui e muito as chances do aplicativo ser clonado.

+ Veja também: Queda de helicóptero, jornalismo e futuro. Fernando Parracho abre o jogo sobre saída da RPC

A segunda dica é utilizar um sistema de proteção para identificar casos de clonagem, que pode ser feita por uma empresa especializada ou aplicativos disponíveis na Apple Store ou Play Store.

A terceira dica é nunca compartilhar dados pessoais por aplicativo de mensagem. Nunca forneça dados de acesso ou token do aplicativo por mensagem de WhatsApp ou SMS. Geralmente o criminoso pede essa informação para conseguir a liberação do acesso. 

Veja outras dicas para evitar golpes:

• Desconfiar de mensagens com promessas de ganhos; ou em tom alarmista
• Checar, em fontes confiáveis, se o que está sendo oferecido (no caso de promoções), prometido corresponde à realidade
• Não clicar em links desconhecidos, ou sobre os quais não se tenha certeza de que não se tratam de iscas ou armadilhas
• Conferir se a descrição de endereços de empresas ou logomarcas, nos conteúdos das mensagens (como de bancos, lojas) correspondem ao nome e logos corretos da instituição. Atentar aos detalhes; as diferenças costumam ser sutis.
• Nunca fornecer dados pessoais sem que tenha certeza e segurança de que o interlocutor se trata de fonte segura.

+ Leia mais: Disfunção sexual pode ser uma das sequelas do coronavírus, dizem cientistas

Registra Boletim de Ocorrência

Se você foi vítima de um golpe ou tentativa de golpe, é preciso registrar um Boletim de Ocorrência. No Paraná, o B.O. pode ser feito pela internet na Delegacia Eletrônica na Polícia Civil, como estelionato, mas a vítima pode procurar também o Núcleo de Crimes Cibernéticos (Nuciber) ou qualquer delegacia. Além disso, a vítima deve avisar da clonagem a todos os seus amigos o mais rápido possível, antes que alguém realize uma transferência bancária aos criminosos. 

>>> Leia as colunas do Cristian Toledo, ouça o Podcast De Letra e fique por dentro de tudo sobre a história do futebol e da imprensa esportiva no Paraná.