A pandemia do coronavírus tem feito as pessoas passarem mais tempo em casa, mas distanciamento social nem sempre é sinônimo de tranquilidade na vizinhança. A Polícia Militar atendeu entre o dia 1º de abril a 11 de maio cerca de 11 mil ocorrências de perturbação de sossego em Curitiba. No mesmo período do ano passado, o registro foi bem menor, cerca de 6 mil ocorrências. 

LEIA TAMBÉM Moradores de Curitiba reclamam de aumento de quase 300% na conta de água

De acordo com o tenente Carlos Casagrande, representante da Polícia Militar na Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), as situações mais comuns envolvem som alto. “A gente atende mais situações de som mecânico: ou de carros ou de caixas portáteis”, explicou o tenente em entrevista ao jornal Bom Dia Paraná, da RPC.

E os números de ocorrências vem chamando atenção principalmente durante os fins de semana. No sábado do dia 25 de abril, por exemplo, a Polícia Militar atendeu 1189 casos. No dia 1º de maio, feriado, foram 247 chamados. No dia 2 de maio (sábado), 266, e no dia 3 de maio (domingo), 977 ocorrências.

Na semana seguinte, os chamados aumentaram. No dia 8 de maio, sexta-feira, foram 286 chamados, e no dia 9 de maio, sábado, foram registradas 963 ocorrências. No domingo (10) de Dia das Mães, a Polícia Militar recebeu 1286 chamados de perturbação de sossego em Curitiba.

Perturbação de sossego é crime ambiental. “O indivíduo é conduzido a um batalhão, onde assina um Termo Circunstanciado de perturbação de sossego e a fonte de som é apreendida”, alerta o tenente Casagrande.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?