Policiais do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) fecharam a sede do Grupo J. Malucelli por volta das 6 horas desta terça-feira (11), no bairro Mossunguê, em Curitiba. Os funcionários do local, onde funciona a parte administrativa do grupo, a JM Equipamentos, a JM Energia e a redação do Paraná Portal, foram impedidos de entrar no prédio.

O alvo das buscas e apreensão seria a J. Malucelli Equipamentos. Um mandado de prisão teria sido expedido contra o fundador do grupo, Joel Malucelli, mas ele estaria em viagem na Itália, de acordo com amigos do empresário.

Malucelli é alvo da mesma operação do Gaeco que prendeu o ex-governador do Paraná e candidato ao Senado Beto Richa. O ex-governador é alvo de duas operações: uma realizada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), pela qual foi preso, e outra da Polícia Federal (PF), em uma nova fase da Lava Jato. Na 53ª etapa da Lava Jato, a casa de Beto Richa é alvo de mandado de busca e apreensão. Ainda não há mais detalhes sobre o que motivou as prisões.

Por meio de nota, a J. Malucelli Equipamentos negou a participação em qualquer irregularidade e informa que “não firmou qualquer contrato com o Governo do Paraná relacionado às Patrulhas Rurais”.