A Prefeitura de Curitiba acaba de anunciar que vai dar continuidade a algumas obras de transporte que estavam paradas, utilizando-se de um novo aporte de dinheiro do Orçamento Geral da União (OGU), no valor de R$ 111,5 milhões.

De acordo com a administração municipal, os investimentos serão utilizados na implantação das três primeiras estações do Ligeirão da linha Norte-Sul, entre a Praça do Japão e o Capão Raso; nas obras do terminal do Tatuquara, que irá receber também a Linha Inter 2; e na continuidade das obras finais dos lotes 4.1 e 4.2 da Linha Verde, desde a Fagundes Varela até a Estação Atuba, incluindo as obras do binário Mucuri-Tietê.

 

Os recursos, que integram o PAC da Mobilidade, estavam retidos por cláusulas de suspensão da Caixa Econômica Federal, que foram retiradas a partir da retomada de projetos que se encontravam parados em Brasília desde meados do ano passado.

Mais investimentos

Por meio desta negociação com a Caixa, a Prefeitura também conseguiu a prorrogação, por mais seis meses (até 31 de dezembro de 2017), do prazo de aprovação de outros projetos, como os de complementação de obras da Linha Verde, as reformas dos terminais de transportes do Hauer e Campina do Siqueira, a melhoria da malha viária no trajeto do Inter 2, entre outros, que podem representar um aporte de mais R$ 205,8 milhões de investimentos em obras na cidade.

Ainda segundo a administração municipal, com a garantia dos investimentos, será possível dar início aos procedimentos licitatórios e aguardar a emissão da Autorização de Início de Obra (AIO) por parte do Ministério das Cidades, responsável pela liberação dos recursos.