Depois de um fim de semana com abusos e aglomeração em plena pandemia de coronavírus, o Instituto Água e Terra (IAT) irá reforçar a segurança a partir desta sexta-feira (4), nas unidades de conservação do Pico Paraná, Marumbi e Serra da Baitaca. A medida visa proteger a natureza e evitar novos casos de desrespeito e contrários ao momento de uma pandemia. Caso alguém venha a descumprir as ordens, a pessoa poderá ser detida e pagar multa de até R$ 2 mil.

+Leia mais! Vacina russa produz imunidade contra coronavírus, dizem dados publicados

Os parques estaduais estavam fechados desde o início da pandemia do novo coronavírus. Com a mudança da bandeira da laranja para a amarela, o Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, liberou a reabertura para uso público e turismo de 18 Unidades de Conservação do Paraná a partir do dia 15 de agosto, mas com restrições.

Era obrigatório o uso de máscara, álcool em gel e medição da temperatura dos visitantes na entrada, além de outras medidas de prevenção ao coronavírus. No entanto, no fim de semana passado, com o calor e com a flexibilização, muitas pessoas foram até as unidades e até churrasco rolou no Morro do Canal, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. Em Curitiba a situação foi semelhante, com grande agitação em parques da cidade.

Com o feriado da Independência e da Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, padroeira de Curitiba, entre segunda e terça-feira, a preocupação do IAT é que os abusos voltem a acontecer nos próximos dias. Rafael Andreguetto, diretor de Patrimônio Natural do Instituto Água e Terra, relatou que muitas pessoas buscam caminhos alternativos para desviar a atenção de quem está realmente preocupado com a natureza.

“Tivemos casos de uma mãe com crianças de colo acessando trilhas. As pessoas precisam compreender que as montanhas irão ficar lá, respeitem o isolamento e se programem para os dias de visitação. Não precisa ter afobação”, disse Rafael Andreguetto.

+Viu essa? Preços do arroz, feijão, carne disparam em Curitiba e Procon-PR toma providências

Senhas e multas

Para aumentar o controle de acesso das pessoas nas unidades de conservação, senhas serão entregues para quem deseja curtir alguns momentos com a natureza. Cada local vai ter um número limite para o acesso. Trilhas alternativas serão bloqueadas pela Guarda Municipal dos municípios e a Polícia Ambiental vai também dar apoio. Além dos agentes de segurança, voluntários e servidores foram chamados para auxiliar neste feriado.

A operação terá servidores terceirizados e voluntários, técnicos e bolsistas que sempre apoiam a administração. A vigilância para este feriado será triplicada, com senhas na entrada das unidades e fichas para monitoramento da Policia Ambiental e da Guarda Municipal. “No caso da Serra da Baitaca, o acesso tem três atrativos como o Morro do Anhangava, Morro Pão de Ló e Caminho do Itupava e para cada um vai ter um número máximo de visitação. Aconselho ligar antes na base para saber como está no dia”, comentou o diretor de Patrimônio Natural do Instituto Água e Terra.

Vai pesar no bolso!

Para quem desrespeitar a medida, como tentar de cruzar trilhas que estarão bloqueadas ou até mesmo o não cumprimento de ações sanitárias contra o novo coronavírus, está suscetível à punição com detenção e multa. A infração pode chegar a R$ 2 mil. Além disto, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) estará utilizando cachorros nesta operação. O objetivo é evitar outros crimes relacionados principalmente a entorpecentes.