Após mais de 24 horas de buscas, o Corpo de Bombeiros encontrou o corpo do adolescente de 13 anos, que havia desaparecido na região do Trapiche, em Pontal do Sul, na manhã de domingo (10). O jovem estava passando o dia na praia com a família, que é de Curitiba, quando se afogou numa área de risco.

LEIA TAMBÉM – Com menos gente nas praias, cai o número de ocorrências e afogamentos

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o jovem desapareceu no mar por volta das 11 horas. O adolescente estava numa área sinalizada de entreposto (faixa não-protegida por guarda-vidas). Há uma bandeira preta de perigo na região, sinalizando para que os banhistas procurem outro local.

O corpo do jovem foi encontrado no mar por pescadores, a cerca de 50 metros da areia, na região da Prainha, entre o Trapiche e a área de construção de plataformas. O local fica a aproximadamente 830 metros da região onde a vítima se afogou. O corpo será encaminhado ao Instituto Médico Legal, que fará o encaminhamento para Curitiba.

Trabalho de buscas

Por volta das 11 horas, um guarda-vidas que estava em horário de folga, caminhando com a filha, visualizou um afogamento perto das pedras do Trapiche, em Pontal do Sul.

O guarda-vidas entrou na água para retirar a vítima, uma mulher que saiu ilesa, e logo depois foi informada de que havia um adolescente no mar, que havia submergido rapidamente. O adolescente era o filho da mulher que foi resgatada.

Como o jovem estava submerso, o guarda-vidas retornou ao mar e reforços foram acionados para iniciar as buscas. Os bombeiros utilizaram técnica de mergulho livre, mergulho com equipamentos e busca com embarcações para tentar encontrar a vítima. Uma aeronave do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) também foi utilizado.

No início da noite, por protocolo, as buscas foram suspensas e retomadas na manhã desta segunda-feira (11), com equipes do Corpo de Bombeiros fazendo nas buscas tanto em profundidade (com mergulhadores fazendo uso de equipamentos) quanto de superfície, com embarcações de salvamento e helicóptero.

Banho de mar só em local protegido

O Corpo de Bombeiros orienta para que os banhistas fiquem atentos às sinalizações na praia. A recomendação é sempre nadar em faixa protegida por guarda-vidas, delimitada por bandeiras ou windbanners vermelho e amarelo. Nunca deve-se entrar no mar próximo a uma placa de perigo.