O pedreiro e reciclador Samuel de Almeida, 35 anos, e o filho dele, Alexandre de Almeida, 7, morreram com vários tiros, disparados no portão de casa, na Rua das Camélias, bairro Guarituba, Piraquara, por volta das 19h30 de ontem. O filho mais velho, Adenilson de Almeida, 8, também chegou a ser atingido, mas foi socorrido em estado grave ao Hospital do Trabalhador.

Os meninos estavam no interior da residência, junto com a mãe e a irmã recém-nascida, quando ouviram homens chamando pelo pai em frente ao terreno e foram atender junto com ele. Ao abrir o portão de metal, Samuel foi surpreendido por diversos disparos que atingiram principalmente o peito dele. Alexandre também foi baleado no peito e Adenilson sofreu fratura exposta após ser alvejado na perna.

O pai morreu na hora, enquanto o atirador entrou em um veículo escuro e fugiu, sentido Avenida dos Eucaliptos. Segundo testemunhas, pelo menos outros dois indivíduos estavam no veículo com ele. Os dois garotos foram colocados pela mãe no carro de uma vizinha e seguiram para Curitiba.

No entanto, o veículo apresentou defeito e parou perto do Terminal de Pinhais. O homem que estava ao volante correu e pediu ajuda na companhia da Polícia Militar, que fica nas proximidades, e logo ambulâncias com socorristas e um médico estavam no local.

“Quando vimos a mãe com um dos garotos nos braços, saímos na rua pedindo um carro emprestado. Felizmente a falha mecânica aconteceu na região do terminal, perto de onde poderíamos conseguir ajuda rápido”, disse Osmair Benk, 34.

De acordo com familiares, Samuel era trabalhador e não tinha desavenças na vizinhança. “Ele fazia reciclagem e às vezes trabalhava em construção. Morava com a esposa e os filhos e até onde sabemos, não recebia ameaças”, disse um sobrinho da vítima. Segundo a polícia, Samuel não tinha passagens pelo sistema prisional.

O filho mais velho, Adenilson de Almeida, 8, também chegou a ser atingido. Foto: Henry Milleo